População da Nigéria: bônus demográfico e armadilha da pobreza, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A Nigéria é o país que vai apresentar o maior crescimento demográfico no século XXI e se tornará a 3ª nação mais populosa do Planeta, devendo ficar à frente dos Estados Unidos a partir de 2047 e atrás somente da Índia e da China. Segundo as estimativas e projeções da Divisão de População da ONU, a população nigeriana era de 37,9 milhões de habitantes em 1950 e deve chegar

População da Índia: bônus demográfico e envelhecimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A Índia é a segunda nação mais populosa do mundo na atualidade, mas irá ultrapassar a China até 2027, passando a ocupar o primeiro lugar, segundo os dados das projeções populacionais da Divisão de População da ONU (revisão 2019). O gráfico abaixo mostra que o crescimento populacional da Índia foi muito grande, pois havia 376,3 milhões de habitantes em 1950, chegou a 1 bilhão em 1997 e deve alcançar o

População da China: bônus demográfico e envelhecimento, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] A China é o país mais populoso do mundo e, desde 2014, possui a maior economia (quando medida em paridade de poder de compra). Desde o início das reformas promovidas por Deng Xiaoping, em 1978, a China apresentou – em 40 anos - o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mais robusto de toda a história econômica global. Diversos fatores contribuíram para este desempenho excepcional e dentre os mais

O bônus demográfico no Brasil e no mundo segundo as novas projeções da ONU, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] As transformações na dinâmica demográfica mundial foram espetaculares a partir do fim da Segunda Guerra, em meados do século passado. Primeiro caíram as taxas de mortalidade e depois as taxas de natalidade. Todos os países e regiões que passaram pela transição demográfica (TD) passaram também pela mudança da estrutura etária. No início da TD, quando as duas taxas estão altas, a pirâmide etária tem uma base larga e com

O bônus demográfico: população total e população em idade ativa no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O IBGE divulgou as novas projeções da população brasileira, no dia 25 de julho de 2018, confirmando as tendências da transição demográfica e do envelhecimento populacional, mas com algumas ligeiras modificações que tem incentivado o debate sobre a dinâmica populacional brasileira e, em especial, sobre a mensuração do importante período em que a estrutura etária favorece o desenvolvimento humano e a qualidade de vida da população. A transição demográfica (passagem

O desperdício dos momentos finais do bônus demográfico brasileiro, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O Brasil vive o seu melhor momento demográfico da história. No passado, era muito alta a razão de dependência (RD) - que mede a relação entre o número de pessoas em idade considerada dependente (crianças, adolescentes e idosos) e o número de pessoas em idade considerada produtiva (15 a 64 anos). Hoje em dia, a RD está em seu nível mais baixo de todos os tempos. Ao longo do

Bônus demográfico brasileiro: 1970-2037, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O Brasil teve uma grande conquista com a transição demográfica. Em primeiro lugar, a queda da taxa de mortalidade evitou a continuidade das mortes precoces, fato absolutamente extraordinário e que é a base de todas as outras conquistas. A esperança de vida ao nascer que estava abaixo de 30 anos no final do século XIX, ultrapassou 70 anos no ano 2000. Em segundo lugar, a queda da taxa de

Desemprego recorde na RMSP e no Brasil: desperdício do bônus demográfico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “O trabalho enobrece e dignifica o ser humano” Gibran Khalil Gibran     [EcoDebate] O Brasil vive a sua mais longa e profunda recessão. Consequentemente, há menos pessoas ocupadas e o desemprego atingiu níveis recordes, provocando grande sofrimento entre a população que deseja trabalhar. Esse problema, além de representar um desrespeito aos direitos constitucionais do pleno emprego e do trabalho decente, significa também o desperdício do bônus demográfico e a perda da chance

Crise no mercado de trabalho, bônus demográfico e desempoderamento feminino, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] As mulheres brasileiras obtiveram conquistas históricas no século XX. Como já mostrei em diversos artigos, elas conquistaram o direito de voto, passaram a ser maioria da população a partir da década de 1940; atingiram a maioria do eleitorado em 1998; elevaram a esperança de vida e vivem, em média, sete anos acima da média masculina; ultrapassaram os homens em todos os níveis educacionais; aumentaram as taxas de participação no

Bônus demográfico e envelhecimento no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Toda crise recessiva é ruim para o bem-estar humano. Mas a atual crise econômica e política do Brasil veio, particularmente, em má hora, pois o país vive o seu melhor momento demográfico e precisava de políticas públicas corretas e adequadas para aproveitar o bônus demográfico. No passado, todos os países tinham altas taxas de mortalidade e natalidade. Consequentemente possuíam uma estrutura etária rejuvenescida. Mas, com o processo de desenvolvimento e

Ocupação e nível educacional: o desperdício do bônus demográfico feminino, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O data de 08 de março deveria ser motivo de comemoração do Dia Internacional da Mulher. Porém, a crise do mercado de trabalho feminino no Brasil não oferece motivos para festa. É mais um dia de luto, pois a luta histórica das mulheres está sendo derrotada pela falta de dinamismo da economia, especialmente, nos últimos 4 anos. O percentual de mulheres de 10 anos e mais ocupadas na semana

O segundo bônus demográfico e o tsunami de idosos no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Brasil está passando por um rápido processo de envelhecimento. A população idosa (60 anos e +) era de 2,6 milhões de pessoas em 1950 (5% da população total), passou para 19,8 milhões em 2010 (10% do total) e deve chegar a 67 milhões em 2050 (quase 30% do número total de habitantes do país). Ou seja, o Brasil gastou 60 anos para ver o percentual de idosos dobrar de

Top