EcoDebate: Índice da edição nº 3.373, de 10/02/2020

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   A inflexão da Antártida: aquecimento e aceleração do degelo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Emergência Climática: Com 18,3°C, temperatura no extremo norte da península Antártica alcança um novo recorde Emergência Ambiental: O derretimento do gelo ártico está mudando as correntes oceânicas Imazon avalia que medida provisória sobre terras na Amazônia pode aumentar o desmatamento de 11 a 16 mil km até 2027 Em nota pública, MPF critica projeto de

A inflexão da Antártida: aquecimento e aceleração do degelo, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Em nossa opinião, a evidência dos pontos de inflexão sugere que estamos em um estado de emergência planetária: tanto o risco quanto a urgência da situação são acentuados” Timothy Lenton (27/11/2019) [EcoDebate] Os últimos 6 anos foram os mais quentes já registrados e a década 2011-20 é a mais quente da série histórica. O Planeta está com febre e não só está esquentando, com aquece a taxas crescentes. Por isso, o aquecimento

Emergência Climática: Com 18,3°C, temperatura no extremo norte da península Antártica alcança um novo recorde

  A base de pesquisa argentina, Esperanza, no extremo norte da península Antártica, estabeleceu uma nova temperatura recorde de 18,3 ° C em 6 de fevereiro, batendo o recorde anterior de 17,5 ° C em 24 de março de 2015, segundo o serviço nacional de meteorologia da Argentina (SMN). Base de pesquisa argentina, Esperanza, no extremo norte da península Antártica   WMO* Um comitê do Arquivo de Extremos de Clima e Clima da OMM agora

Emergência Ambiental: O derretimento do gelo ártico está mudando as correntes oceânicas

  NASA* Uma grande corrente oceânica no Ártico é mais rápida e turbulenta como resultado do rápido derretimento do gelo do mar, mostra um novo estudo da NASA. A corrente faz parte de um ambiente ártico delicado que agora é inundado com água doce, um efeito da mudança climática causada pelo homem. Usando 12 anos de dados de satélite, os cientistas mediram como essa corrente circular, chamada de Gyuf Beaufort, equilibrou precariamente um

Imazon avalia que medida provisória sobre terras na Amazônia pode aumentar o desmatamento de 11 a 16 mil km até 2027

Análise de pesquisadores do Imazon mostra ainda que a MP 910 pode estimular invasão de terras públicas na região Por Stefânia Costa Ainda no começo deste ano, o Congresso Nacional tem a tarefa de decidir sobre a Medida Provisória 910/2019, que visa mudar, novamente, a Lei de Regularização Fundiária, apenas dois anos após sua última modificação. Pesquisadores do Imazon divulgaram nota técnica mostrando que, na prática, a MP beneficiará casos recentes de grilagem,

Em nota pública, MPF critica projeto de lei que permite mineração em terras indígenas

  Arte: Secom/PGR Em nota pública divulgada nesta sexta-feira (7), a Câmara de Populações Indígenas e Comunidades Tradicionais do Ministério Público Federal (6CCR/MPF) manifesta preocupação com as consequências do Projeto de Lei n. 191/2020, que regulamenta pequisa e lavra de recursos minerais e hidrocarbonetos em terras indígenas, além do aproveitamento de recursos hídricos para geração de energia elétrica. A Câmara alerta que a aprovação do projeto pode levar à “destruição de importantes

Polícia Ambiental faz mapeamento da bacia hidrográfica do Rio Guandu, RJ

  Os afluentes e efluentes que deságuam na bacia hidrográfica do Rio Guandu passam por um levantamento minucioso do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), da Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro. ABr   O trabalho, segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, começou neste fim de semana nos rios, canais naturais, tubulações e valas clandestinas que interferem na bacia considerada a fonte primária de abastecimento do Rio e de

Estamos acabando com o mundo e vamos cada vez pior: a economia circular perde força

  IHU Segundo os dados apresentados no novo Relatório sobre a Lacuna Circular, a proporção de materiais e recursos que se reusam e reciclam a nível global diminuiu de 9,1% do total a 8,6%, enquanto que a humanidade usou mais materiais do que nunca, chegando às 100 bilhões de toneladas de recursos em apenas um ano. O artigo é de Eugenio Fernández Vázquez, consultor ambiental do Centro de Especialistas e Gestão Ambiental no México, publicado por CPAL Social,

Top