Índice da edição nº 3.053, 2018 [de 17/09/2018]

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   Um psicólogo para a Seleção? artigo de Montserrat Martins Furacão Florence e Tufão Mangkhut: a vulnerabilidade imposta pelo aquecimento global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Aquíferos - Cenário atual e perspectivas futuras no mundo, por Marco Antonio Ferreira Gomes e Lauro Charlet Pereira Extinta na natureza, reintrodução da ararinha-azul deve começar no ano em 2019 18% de todos os resíduos produzidos no país ainda são depositados em lixões, sem

Um psicólogo para a Seleção? artigo de Montserrat Martins

    [EcoDebate] Tite nomeou Neymar como capitão da Seleção brasileira, o que é uma jogada psicológica, evidentemente. No esporte de alto rendimento, tudo é científico, da preparação física aos esquemas táticos, da fisiologia à nutrição. Mas há quatro anos não temos Psicologia na Seleção e há pelo menos dois motivos para isso, dois exemplos que não deram certo. Em 2014 a então psicóloga deu entrevista a canal de TV de debates

Furacão Florence e Tufão Mangkhut: a vulnerabilidade imposta pelo aquecimento global, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“É triste pensar que a natureza fala e que a humanidade não a ouve” Victor Hugo     A ciência mostra que as tempestades são mais fortes em decorrência do aquecimento global [EcoDebate] Os furacões (que acontecem no Atlântico Norte e no Pacífico entre o Havaí e a costa oeste dos EUA), os Tufões (que acontecem no Pacífico entre o Havaí e o leste asiático) e os Ciclones que acontecem no hemisfério sul e no

Aquíferos – Cenário atual e perspectivas futuras no mundo, por Marco Antonio Ferreira Gomes e Lauro Charlet Pereira

    O futuro dos aquíferos no mundo estará seriamente comprometido, com perspectivas de escassez cada vez maiores de água, inclusive para consumo humano [Ecodebate] Os aquíferos constituem as únicas reservas estratégicas de água subterrânea para as gerações vindouras, motivo pelo qual a proteção dos mesmos é de fundamental importância para a sobrevivência da humanidade. O maior desafio é manter as reservas protegidas dentro de um ambiente sustentável, exigência essa que está na contramão

Extinta na natureza, reintrodução da ararinha-azul deve começar no ano em 2019

  A ararinha-azul (Cyanopsitta spixii), extinta na natureza desde 2000, deve voltar a voar nos céus brasileiros em breve. A ave, natural da Caatinga nordestina, ainda é criada em cativeiro. Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ainda existem cerca de 150 ararinhas mantidas por criadores no Brasil e no exterior. O processo de reintrodução deve começar em março do ano que vem, quando deverão chegar ao Brasil 50 ararinhas

18% de todos os resíduos produzidos no país ainda são depositados em lixões, sem nenhum tipo de cuidado

  Lixões continuam a crescer no Brasil, mostra levantamento A quantidade de resíduos enviadas para lixões teve um aumento pelo segundo ano consecutivo. Segundo o levantamento divulgado na sexta-feira (14) pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), em 2017 foram enviados para depósitos de lixo, sem nenhum preparo, 12,9 milhões de toneladas de resíduos urbanos, um aumento de 4,2% em relação ao volume verificado em 2016. A quantidade

Nos sete primeiros meses de 2018, geração de energia eólica já cresceu 17,8%

    Nos sete primeiros meses de 2018, a geração de energia elétrica proveniente de geração eólica cresceu 17,8%, informou na sexta-feira (14) a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Segundo boletim da CCEE, as usinas que utilizam os ventos como insumo para a produção de eletricidade somaram 4.470 megawatts (MW) médios entregues entre janeiro e julho, frente aos 3.793,9 MW médios gerados no mesmo período de 2017. “A representatividade eólica em

Agência Nacional de Águas (ANA) suspende novas outorgas para hidrelétricas na bacia do Rio Paraguai

    A Agência Nacional de Águas (ANA) informou na sexta-feira (14) que vai suspender a outorga de novos empreendimentos hidrelétricos na região da bacia hidrográfica do Rio Paraguai, onde fica o Pantanal. A medida vale tanto para Usinas Hidrelétricas (UHE) quanto para Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e tem por objetivo evitar que futuros empreendimentos prejudiquem outros usos dos rios da região, principalmente a pesca e o turismo. A suspensão vale até 31

Top