Índice da edição nº 3.052, 2018 [de 14/09/2018]

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394   A janela de oportunidade demográfica começou a se fechar mais cedo no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Como evitar as doenças de solo, por Alexandre Dinnys Roese e Augusto César Pereira Goulart Mortes relacionadas ao calor devem aumentar significativamente com o aumento da temperatura global, alertam pesquisadores Agrotóxicos e outras substâncias químicas nocivas matam 193 mil pessoas no mundo por ano, diz ONU Desastre de Mariana: Cientistas analisam

A janela de oportunidade demográfica começou a se fechar mais cedo no Brasil, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  Razão de dependência no Brasil, segundo as projeções do IBGE: 2010-2060 Fonte: IBGE, revisão 2013 e 2018   [EcoDebate] Todo país que passa pela transição demográfica (redução de altas para baixas taxas de mortalidade e natalidade), passa também pela transição da estrutura etária, que é o processo de redução da base da pirâmide populacional, seguido do alargamento da parte central e, após algumas décadas, a expansão do topo da pirâmide. Quando a parte central

Como evitar as doenças de solo, por Alexandre Dinnys Roese e Augusto César Pereira Goulart

Como evitar as doenças de solo Alexandre Dinnys Roese – Analista (Fitopatologia) Augusto César Pereira Goulart – Pesquisador (Fitopatologia) [EcoDebate]A época de semeadura da soja se aproxima e é hora de deixar tudo preparado: máquinas reguladas, insumos à disposição e muito cuidado com as doenças de solo. Isso mesmo. Os cuidados para evitar ou minimizar os efeitos das doenças incluem a conservação do solo e o processo de semeadura. E para

Mortes relacionadas ao calor devem aumentar significativamente com o aumento da temperatura global, alertam pesquisadores

Modelos mostram que a implementação do Acordo de Paris é fundamental para evitar um grande aumento nas mortes relacionadas à temperatura     Por redação do EcoDebate O mundo precisa manter sob controle a temperatura global cumprindo as metas estabelecidas no Acordo de Paris, ou mais pessoas podem morrer por causa de temperaturas extremas, dizem autores de um novo estudo na seção de cartas da revista Climatic Change, da Springer . O Acordo de Paris,

Agrotóxicos e outras substâncias químicas nocivas matam 193 mil pessoas no mundo por ano, diz ONU

  Número foi divulgado pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em reunião em Brasília sobre o uso de pesticidas. Agência regional defendeu abordagem integrada entre setores da saúde, agricultura e meio ambiente, a fim de enfrentar o problema da exposição e intoxicação por substâncias químicas nocivas. ONU Cerca de 193 mil pessoas no mundo perdem a vida todos os anos por exposição a substâncias químicas nocivas, afirmou na terça-feira (11) o representante da Organização

Desastre de Mariana: Cientistas analisam os impactos ambientais, entre os quais os resultantes da devastação de ecossistemas

  Por Tássia Biazon, Jornal da UNICAMP Impactos ambientais Dia 5 de novembro de 2015. Brasil. Minas Gerais. Mariana. Bento Rodrigues. Barragem de Fundão. Samarco. Às 15h ocorre um tsunami de lama. Cerca de 32 milhões de m³ rejeitos são lançados ao meio ambiente. O primeiro local atingido foi o córrego de Santarém. Em seguida, o tsunami chegou ao Rio Gualaxo do Norte, percorrendo 55 quilômetros até seu afluente, o Rio do Carmo. Depois, mais 22 quilômetros e

Cidades com extrema desigualdade na distribuição de renda sofrem mais com tuberculose

    A tuberculose tem maior incidência, tanto na população prisional como na população em geral, em municípios com extrema desigualdade na distribuição de renda. Em localidades com boa distribuição de renda, a incidência da doença é menor. A conclusão é de pesquisa de doutorado de Daniele Maria Pelissari e do professor Fredi Alexander Diaz Quijano, da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP). Segundo o estudo, nas cidades com

Justiça determina federalização do licenciamento ambiental de projeto da mineradora Belo Sun no rio Xingu (PA)

  Belo Sun: Sentença destaca que o Ibama deve reavaliar licenças já concedidas e incluir estudo dos impactos aos indígenas A Justiça Federal determinou que o licenciamento ambiental do projeto de mineração de ouro Volta Grande, da empresa Belo Sun no rio Xingu, no sudeste do Pará, deve ser feito pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), e não pelo governo do estado. Além de atingir terras indígenas, os

Top