Índice da edição nº 2.881, 2017 [de 30/11/17]

    Percepção ambiental da agroecologia, artigo de Roberto Naime Os Resíduos Sólidos na Região Nordeste do Brasil em 2016, artigo de Antonio Silvio Hendges A luta pela terra deixa nua a violência do poder, por frei Gilvander Moreira A comunidade científica considera novas abordagens para a combater a desinformação climática Supremo proíbe a extração, industrialização e comercialização do amianto em todo o país Desigualdade: Em 2016, os 10% com maiores rendimentos

Percepção ambiental da agroecologia, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] SCHMITT et al (2013) avaliam a percepção de consumidores, produtores e dirigentes pertencentes às cooperativas de agricultura familiar de cinco municípios da microrregião de Santa Rosa/RS. O instrumento de pesquisa utilizado foi a entrevista, onde houve preocupação em determinar o tempo percebido como necessário para a depuração do solo e suas percepções sobre o uso de metodologia agroecológica ou convencional. Os dados obtidos revelaram que, metade dos entrevistados, julgaram necessário

Os Resíduos Sólidos na Região Nordeste do Brasil em 2016, artigo de Antonio Silvio Hendges

[EcoDebate] O Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil em 2016 da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais – Abrelpe descreve a produção e destino final dos resíduos sólidos urbanos – RSU, resíduos de saúde - RSS, resíduos de construções e demolições - RCD e os previstos nos acordos de logística reversa. Nos meus artigos anteriores publicados no Portal EcoDebate estão informações sobre o país e as

A luta pela terra deixa nua a violência do poder, por frei Gilvander Moreira

A luta pela terra deixa nua a violência do poder Por frei Gilvander Moreira1 A opressão do latifúndio, dos latifundiários e do capitalismo tem levado de alguma forma a um emudecimento dos sem-terra e ao desejo de libertar-se da experiência de ser expropriado e ignorado nos seus direitos; tem levado à banalização da existência humana, à perda de valores. Entretanto, na contramão da ordem estabelecida, no Brasil, a experiência da luta pela

A comunidade científica considera novas abordagens para a combater a desinformação climática

  American Institute of Biological Sciences* Apesar do esmagador acordo científico sobre a questão do aquecimento global causado pelo homem, existe um grande fosso entre esse consenso e a compreensão pública da questão. Escrevendo na BioScience , Jeffrey A. Harvey, do Instituto Holandês de Ecologia, e seus colegas examinam as causas da diferença de consenso, com foco nos blogs da Internet negacionistas e as formas como eles usam tópicos como a extensão

Supremo proíbe a extração, industrialização e comercialização do amianto em todo o país

  O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (29) proibir uso do amianto do tipo crisotila, material usado na fabricação de telhas e caixas d’água. A decisão dos ministros foi tomada para resolver problemas que surgiram após a decisão da Corte que declarou a inconstitucionalidade de um artigo da Lei Federal 9.055/1995, que permitiu o uso controlado do material. Com a decisão, tomada por 7 votos a 2, não poderá ocorrer a

Desigualdade: Em 2016, os 10% com maiores rendimentos concentravam 43,4% de toda a renda recebida no Brasil

  Desigualdade de renda atinge regiões, gêneros, cores e escolaridades Em 2016, as pessoas situadas na parcela de 1% dos maiores rendimentos de trabalho recebiam, em média, R$ 27.085, enquanto a metade de menor renda recebia R$ 747, em um país cujo rendimento médio mensal de todos os trabalhos foi de R$ 2.149. Nesse mesmo ano, os 10% com maiores rendimentos concentravam 43,4% de todas as fontes de renda recebidas no Brasil. Os

Brasil tem 1,8 milhão de crianças e adolescentes trabalhando, 30 mil delas têm de 5 a 9 anos de idade

    No Brasil, em 2016, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgada ontem (29) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de um total de 40,1 milhões de crianças e adolescentes no grupo de 5 a 17 anos, 1,8 milhão estavam no mercado de trabalho. O nível de ocupação para esta população foi 4,6%, principalmente concentrado no grupo de idade de 14 a

Índice da edição nº 2.880, 2017 [de 29/11/17]

    O trilema da sustentabilidade e o decrescimento demoeconômico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Para onde uma cidade deve crescer? artigo de Emerson Souza Gomes Aquecimento Global: Tarde demais para 3º C? análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp) Imazon apresenta análise da exploração madeireira no Pará entre 2015 e 2016 Em 15 anos, entre 2000 e 2015, Cerrado perdeu 11% de cobertura vegetal nativa por causa do desmatamento Arborização urbana reduz casos de câncer de pulmão

O trilema da sustentabilidade e o decrescimento demoeconômico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Acreditar que o crescimento econômico exponencial pode continuar infinitamente num mundo finito é coisa de louco ou de economista” Kenneth Boulding (1910-1993)     [EcoDebate] O desenvolvimento econômico chegou a uma encruzilhada e a ideia de um desenvolvimento sustentável virou um oximoro. Desde que a humanidade ultrapassou a capacidade de carga do Planeta o crescimento da produção de bens e serviços, quando contabilizado as agressões ao meio ambiente, virou um “crescimento deseconômico”, como

Para onde uma cidade deve crescer? artigo de Emerson Souza Gomes

    [EcoDebate] O crescimento das cidades desperta preocupações acerca do bem-estar do cidadão. A ocupação desordenada do solo, a falta de infraestrutura, aliadas ao desmatamento, comprometem a qualidade de vida, sobretudo, nas cidades da zona costeira; some-se a isto o fato de que gestão incipiente, corrupção e baixo orçamento são empecilhos constantes para municípios que buscam equacionar atividade econômica e práticas ecológicas. A sustentabilidade depende de planejamento. Em sede de municípios,

Aquecimento Global: Tarde demais para 3º C? análise de Luiz Marques (IFCH/Unicamp)

  Jornal da Unicamp Texto LUIZ MARQUES Fotos Reprodução | Marco Vancini | tbglobalist.com Edição de imagem LUIS PAULO SILVA   As diversas projeções de aumento das temperaturas médias superficiais terrestres e marítimas combinadas até 2100 (em relação ao período pré-industrial) confluem, com pequenas discrepâncias, para quatro cenários. (1) Cenário de base, segundo o IPCC AR5 Working Group III (2014). Mantido o nível atual das emissões de CO2-eq (53,4 bilhões de toneladas ou Gt em 2016), atingiremos

Top