Índice da edição nº 2.839, 2017 [de 27/09/17]

    Colapso econômico, demográfico e ambiental de Porto Rico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Esperanças científicas e fatos políticos básicos sobre o Acordo de Paris; análise de Luiz Marques Santos já está exposta a elevação das marés, tempestades, erosão e intrusão de água salgada Mudanças climáticas têm consequências devastadoras para a saúde da população, alerta a OMS Seminário regional debateu sobre impactos ambientais e sociais dos parques de energia eólica

Colapso econômico, demográfico e ambiental de Porto Rico, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Porto Rico é uma ilha do Caribe com uma população de 3,6 milhões de habitantes, em 2017, e uma área de 9.104 km2 (menor do que a cidade de Manaus que tem 11.104 km2). Porto Rico foi uma colônia e província espanhola desde a invasão de Cristóvão Colombo em 1493, até a Guerra Hispano-Americana de 1898. Os porto-riquenhos passaram a ser cidadãos americanos em 1917, quando o país se

Esperanças científicas e fatos políticos básicos sobre o Acordo de Paris; análise de Luiz Marques

  Jornal da UNICAMP Um trabalho publicado neste mês de setembro na revista Proceedings of the National Academy of Sciences assim define três níveis de risco atual decorrentes do aquecimento global: “>1,5º C perigoso; >3º C catastrófico; e >5º C desconhecido, ou seja, além de catastrófico, incluindo ameaças existenciais” [1]. Segundo os autores, para manter as temperaturas médias do planeta abaixo dos níveis perigosos de aquecimento seria preciso “reverter a curva das

Santos já está exposta a elevação das marés, tempestades, erosão e intrusão de água salgada

    Da Agência FAPESP Os estudos do Projeto Metrópole, com apoio da FAPESP, demonstram que a cidade de Santos, no Estado de São Paulo, já está exposta a tempestades, erosão e intrusão de água salgada, de acordo com a Assessoria de Comunicação do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden). Há uma tendência das alterações climáticas e a subida do nível do mar intensificarem esses riscos, conforme pesquisa coordenada

Mudanças climáticas têm consequências devastadoras para a saúde da população, alerta a OMS

  ONU Os furacões Irma e Maria, que devastaram o Caribe, são “um trágico lembrete de que o clima do nosso mundo está mudando, com efeitos devastadores para a saúde”, alertou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus. Declaração foi feita na abertura da 29ª Conferência Pan-Americana da Saúde, que teve início nesta segunda-feira (25), em Washington. Fenômenos naturais ocuparam o centro dos debates. A Conferência Pan-Americana da Saúde

Seminário regional debateu sobre impactos ambientais e sociais dos parques de energia eólica no Nordeste

IRPAA Fortes relatos de quem sente na pele todas as consequências da instalação dos parques eólicos nos seus territórios de origem e a certeza de não ser viável esse modelo de geração de energia, marcaram o Seminário sobre os impactos ambientais e sociais dos parques eólicos no Nordeste brasileiro. O evento reuniu de 22 a 24 de setembro deste ano, em Juazeiro – BA, cerca de 50 pessoas impactadas pela instalação

Construção de políticas públicas efetivas de combate à desigualdade tem que ser a agenda do Brasil

  Construção de políticas públicas efetivas de combate à desigualdade tem que ser a agenda do Brasil. Entrevista especial com Fábio Castro IHU Os dados de que as desigualdades sociais no Brasil não diminuíram ao longo dos últimos 15 anos, conforme demonstra a pesquisa realizada pelo economista Marc Morgan, do Instituto World, Wealth & Income Database, que é codirigido pelo economista Thomas Piketty, reforçam as análises feitas pelos pesquisadores brasileiros que usam as

Entidades patronais e de trabalhadores da indústria do amianto são condenadas por violações em acordos coletivos

ABr Dezessete entidades patronais e de representação de trabalhadores da indústria do amianto foram condenadas pela 6ª Vara do Trabalho em Campinas a não pactuar cláusulas em acordo coletivo que violem atribuições do Estado. Uma ação civil pública apresentada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) em 2015 denunciou termos negociados entre empresas e entidades sindicais que invadiam o papel do Poder Público, como fiscalização, Previdência Social e vigilância sanitária. A multa por

Top