Índice da edição nº 2.710, 2017 [de 03/03/17]

    Recorde de degelo global em janeiro e fevereiro de 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves A comunidade sua contribuição na solução e prevenção dos problemas socioambientais urbanos, artigo de Patrícia Shimabuku Previsão climática do MCTIC estima que seca no semiárido nordestino deve se agravar até maio Crise hídrica no DF realça importância das unidades de conservação (UCs) Estudo revela que povos pré-colombianos moldaram a flora da floresta amazônica Ibama estabelece diretrizes para avaliação dos

Recorde de degelo global em janeiro e fevereiro de 2017, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Para cada mil pessoas dedicadas a cortar as folhas do mal, há apenas uma atacando as raízes”. Duzentos anos do nascimento de Henry Thoreau (1817-1862)     [EcoDebate] Não há mais como contestar. Os negacionistas das mudanças climáticas perderam totalmente seus argumentos, claramente, anticientíficos. O degelo global bateu todos os recordes em janeiro e fevereiro de 2017. Depois de três anos (2014, 2015 e 2016) de temperaturas muito elevadas, sem precedentes no Holoceno

A comunidade sua contribuição na solução e prevenção dos problemas socioambientais urbanos, artigo de Patrícia Shimabuku

    [EcoDebate] A cidade é a forma predominante de agrupamento humano no planeta Terra.  O viver no sítio urbano é repleto de contradições e caracteriza-se  por enormes disparidades entre ricos e pobres, pelo desperdício consumista, por poluição excessiva, congestionamento, enchentes, inundações, crimes e falta de perspectivas. Sem falar que, grande parcela dos munícipes vive em bairros periféricos, muitas vezes em situação irregular, com precárias condições higiênicas, sanitárias ou com ausência de

Previsão climática do MCTIC estima que seca no semiárido nordestino deve se agravar até maio

  Período considerado chuvoso terá precipitações abaixo da média histórica do extremo norte da Bahia até o leste do Piauí, piorando níveis dos reservatórios de água da região. Além de comprometer o abastecimento de água para a população, estiagem prejudica a atividade econômica do semiárido. Previsão também indica cheia em rios da Amazônia.   Com chuvas abaixo da média histórica, a seca no semiárido deve se agravar até maio. A informação é do

Crise hídrica no DF realça importância das unidades de conservação (UCs)

    Praticamente toda a água consumida em Brasília vem de fontes e barragens protegidas por unidades de conservação federais. Sem elas, a situação que já exige racionamento seria pior As unidades de conservação (UCs) federais cumprem papel decisivo na manutenção dos recursos hídricos que abastecem o Distrito Federal. E essa importância fica mais evidente agora, quando Brasília, a capital federal, enfrenta a maior crise de abastecimento d´água de sua história, exigindo a

Estudo revela que povos pré-colombianos moldaram a flora da floresta amazônica

  Povos pré-colombianos domesticaram ao menos 85 espécies de árvores que até hoje estão concentradas em florestas próximas a antigos assentamentos Por Luciete Pedrosa* Fotos: Acervo da Pesquisadora Estudo inédito liderado pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) mostra que há uma relação entre a ocupação humana passada na Amazônia e a presença de plantas domesticadas na floresta. Isso indica que essas florestas podem ser em parte um patrimônio vivo dos povos pré-colombianos.

Ibama estabelece diretrizes para avaliação dos riscos de agrotóxicos para insetos como abelhas

    O Ibama publicou Instrução Normativa que estabelece diretrizes, requisitos e procedimentos para a avaliação dos riscos de ingredientes ativos de agrotóxicos para insetos polinizadores. A norma, destinada a produtos ainda não registrados no país ou em reavaliação, é a primeira a estipular critérios de decisão com base no risco, ou seja, na probabilidade de uma espécie ser afetada pela exposição a agrotóxicos. O objetivo é oferecer mais proteção a abelhas

Plataforma integrará dados sobre a biodiversidade e serviços ecossistêmicos no Brasil

  Por Elton Alisson, da Agência FAPESP     Um grupo de mais de 50 pesquisadores brasileiros, ligados às principais universidades e instituições de pesquisa do país, reunirá e sintetizará os dados disponíveis sobre a biodiversidade e serviços ecossistêmicos (como polinização e proteção de recursos hídricos) no Brasil para elaborar o primeiro diagnóstico nacional sobre esses temas. Eles integram a Plataforma Brasileira sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES, na sigla em inglês), lançada oficialmente na

Top