nº 2.558, 2016 [29/06/2016]

    Cemitérios e enterros sustentáveis, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Antropoceno, Parte 2/3, artigo de Roberto Naime A banalização da vida animal na era das selfies, por Elissandro dos Santos Santana, Denys Henrique Rodrigues Câmara, Heron Duarte de Almeida e Rosana dos Santos Santana Relatório avalia o que mudou na transparência na gestão da água em São Paulo Órgãos são pouco transparentes na divulgação de dados do Cantareira, diz ONG Tecnologia australiana de despoluição de

Cemitérios e enterros sustentáveis, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  “Os mortos governam os vivos” Augusto Comte     [EcoDebate] A humanidade já provocou grandes alterações nos ecossistemas do Planeta. Desmatou florestas para explorar as madeiras de lei, fazer carvão e ampliar as atividades da agricultura e da pecuária. Represou rios, drenou pântanos, alterou a paisagem natural. Revolveu a terra para extrair minérios, foi buscar petróleo no fundo do subsolo e emitiu gases de efeito estufa que alteram a química da atmosfera, provocando

Antropoceno, Parte 2/3, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] O geólogo russo TER STEPANIAN (1970), num boletim do IAEG (International Applied Engineering Geologists) em 1970, propôs que o período geológico atual, denominado holocênico, fosse conhecido por Tecnógeno. E o que significa tecnógeno? Uma fase da vida da humanidade sobre a Terra, onde a ação humana (antropogênica ou de engenharia) é hegemônica sobre as ações geológicas, químicas e biológicas. O tecnógeno ou antropoceno é então uma ciência voltada para o futuro,

A banalização da vida animal na era das selfies, por Elissandro dos Santos Santana, Denys Henrique Rodrigues Câmara, Heron Duarte de Almeida e Rosana dos Santos Santana

A banalização da vida animal na era das selfies Elissandro dos Santos Santana1 Denys Henrique Rodrigues Câmara2 Heron Duarte de Almeida3 Rosana dos Santos Santana4 Fonte: Foto modificada a partir do site http://www.metropoles.com/mundo/meio-ambiente-mundo/tartaruga-fica-ferida-apos-ser-capturada-para-tirar-selfies [EcoDebate] Em tempos de efervescência midiática nas redes sociais, os seres “humanos” da (in)comunicação e da indiferença vivem sob a égide do exibicionismo da sociedade da decepção em eras do vazio. Em meio à parafernália da cultura do ter para ser,

Relatório avalia o que mudou na transparência na gestão da água em São Paulo

    Estudo analisou informações divulgadas pelos órgãos responsáveis pela gestão do Sistema Cantareira durante 2016, e comparou com dados de 2014 A ARTIGO 19 lançou ontem (28) o relatório “Sistema Cantareira e a Crise da Água em São Paulo: falta de transparência, um problema que persiste”, que analisa as informações divulgadas pelos órgãos responsáveis pela gestão do Sistema Cantareira entre 2014 e 2015. Trata-se da segunda versão do estudo – a primeira

Órgãos são pouco transparentes na divulgação de dados do Cantareira, diz ONG

   Relatório feito pela Organização Não Governamental (ONG) Artigo 19 mostra que os órgãos ligados à gestão do Sistema Cantareira apresentam baixa transparência quando o assunto é fornecimento de dados à população. A pesquisa avaliou a disponibilidade de informações nos sitesdesses órgãos, além da qualidade de respostas fornecidas a perguntas feitas diretamente por e-mail ou telefone. Dos 14 sites avaliados, metade teve resultados insatisfatórios. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de

Tecnologia australiana de despoluição de águas pode ser aplicada no Brasil

  Tecnologia pode ser utilizada, inclusive, para a despoluição da Baía de Guanabara     Testes feitos em parceria com pesquisadores da Universidade Santa Úrsula, do Rio de Janeiro, com o apoio da Universidade Curtin, da Austrália, mostraram que a tecnologia australiana The Water Cleanser pode despoluir águas de rios, lagoas, bacias e até da Baía de Guanabara. A tecnologia está aprovada em 15 países, tem 11 anos de mercado e patente mundial há

Rio de Janeiro ‘Cidade Olímpica’: Vida removida, a luta pela permanência na Vila Autódromo

   A transformação do Rio de Janeiro em cidade olímpica levou a prefeitura a ir além das obras de instalações esportivas e da ampliação das vias de acesso necessárias à mobilidade de atletas e do público. Para a construção do Parque Olímpico, o poder municipal removeu os moradores da Vila Autódromo, comunidade que reunia cerca de 500 famílias e tinha mais de 40 anos. Do total de famílias que vivia ao lado

As doenças aliadas do frio

saúde

    O inverno chegou oficialmente no dia 20 de junho, mas o frio veio com tudo, de norte a sul do País, muito antes desta data. As baixas temperaturas têm forçado os brasileiros a retirarem do guarda-roupa os casacos, as toucas, os gorros e até as luvas. Para quem descobre estar despreparado para enfrentar a mudança brusca e não quer nem pensar em bater o queixo, o jeito é ir às

Top