nº 2.351, 2015 [28/07/2015]

    Filtragem de água de chuva na Amazônia, artigo de Roberto Naime Educação em xeque, artigo de Luiz Gonzaga Bertelli Como vai funcionar a nova detecção espacial do desmatamento, por Sandra Damiani Produção de lixo no país cresce 29% em 11 anos, mostra pesquisa Política de Resíduos Sólidos não avançou na gestão do lixo, avalia Abrelpe Mata Atlântica: não existem mudas suficientes para recuperar a floresta. Entrevista com Jaeder Lopes Vieira Belo Monte: prevenção e mitigação não

Filtragem de água de chuva na Amazônia, artigo de Roberto Naime

  Foto: INPA   [EcoDebate] As civilizações antigas já valorizavam e desenvolveram importantes obras para captação, armazenamento e aproveitamento de água das chuvas. Particularmente é notável a contribuição dos árabes durante o período em que habitaram o sul da Espanha e tornaram mais conhecidas técnicas que já datavam de milhares de anos. Existem registros de utilização por pretéritas civilizações em várias localidades. O jornal Beira-Rio, da Universidade Federal do Pará, em sua edição eletrônica

Educação em xeque, artigo de Luiz Gonzaga Bertelli

    [EcoDebate] Muito tem se falado da real situação da educação brasileira. Da falta de preparação dos professores, da ausência de estrutura das escolas, dos currículos obsoletos que não preparam os jovens para o mercado de trabalho, entre outros tantos itens. Cada pesquisa que surge só vem comprovar a condição caótica em que se encontra o ensino. De acordo com o relatório De Olho nas Metas, divulgado recentemente pelo movimento Todos

Como vai funcionar a nova detecção espacial do desmatamento, por Sandra Damiani

desmatamento

    [Mídia e Amazônia] O uso de duas novas tecnologias devem gerar ganhos significativos na detecção do desmatamento na Amazônia ao permitir o monitoramento de áreas cobertas por nuvens e aquelas desmatadas de menor dimensão a partir deste segundo semestre do ano. A primeira inovação, anunciada nesta semana, é o uso de imagens do radar orbital SAR (sigla em inglês para Synthetic Aperture Radar) que começa a gerar dados para a

Produção de lixo no país cresce 29% em 11 anos, mostra pesquisa

    A geração de lixo no Brasil aumentou 29% de 2003 a 2014, o equivalente a cinco vezes a taxa de crescimento populacional no período, que foi 6%, de acordo com levantamento divulgado ontem (27) pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). A quantidade de resíduos com destinação adequada, no entanto, não acompanhou o crescimento da geração de lixo. No ano passado, só 58,4% do total foram

Política de Resíduos Sólidos não avançou na gestão do lixo, avalia Abrelpe

lixão

    A plena vigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que se deu no ano passado, não foi suficiente para mudar a cultura de produção e gestão do lixo no Brasil. Esta é a avaliação do presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho, sobre os dados do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, apresentado ontem (27) pela entidade. O documento mostra

Mata Atlântica: não existem mudas suficientes para recuperar a floresta. Entrevista com Jaeder Lopes Vieira

  “Existem vários fragmentos da Mata Atlântica isolados uns dos outros e esse isolamento pode levar a floresta à extinção”, adverte o engenheiro agrônomo. Foto: brasilescola.com.br  Os desafios para recuperar 85% da Mata Atlântica, percentual que já foi degradado ao longo dos anos, são enormes, a começar pelas dificuldades técnicas, visto que hoje não existem “mudas suficientes para fazer a recuperação da Mata Atlântica. Mesmo se tivéssemos dinheiro, há um limite em relação

Belo Monte: prevenção e mitigação não se concretizam e obra causa novos impactos sobre indígenas

  Infográfico incluído no dossiê "Belo Monte - Não há condições para a Licença de Operação", lançado pelo ISA, mostra que ações previstas para beneficiar povos e terras indígenas não se concretizaram e Plano Emergencial trouxe mais consequências negativas A hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira (PA), já está praticamente concluída sem que tenham sido implementadas as medidas previstas para proteger os territórios indígenas (regularização fundiária e fiscalização) e mitigar outros impactos.

Ministros de 46 países aceitam mecanismo de revisão de acordo do clima de cinco em cinco anos

  Representantes diplomáticos concordam que novo pacto climático deve corrigir lacunas em relação aos cenários de redução das emissões. Resolução não faz parte de negociações formais, mas é sinal político positivo Uma reunião informal de ministros de 46 países, realizada em Paris, nesta semana, chegou a um consenso sobre um mecanismo de revisão do futuro acordo internacional sobre mudanças climáticas. A ideia seria avaliar, de cinco em cinco anos, os progressos do

Comissão de Meio Ambiente da Câmara aprova suspensão da exploração do gás de xisto por cinco anos

xisto

    A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara dos Deputados aprovou projeto, do deputado Sarney Filho (PV-MA), que suspende a exploração do gás de xisto pelo período de cinco anos. O relator, deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), votou pela aprovação da proposta (PL 6904/13), com emendas. O texto prevê que, no período de cinco anos, caberá ao Poder Público elaborar termo de referência dos estudos necessários ao respectivo licenciamento ambiental

Top