Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.939, de 14/10/2013

    O Brasil como referência no combate ao trabalho infantil, por Cristiano Morsolin O Plano de Desenvolvimento Sustentável- Zoneamento Econômico Ecológico da Área de Abrangência da Rodovia Br- 163 e a Segurança Alimentar da População do Norte do Estado do Mato Grosso - Uma Questão Esquecida? artigo de João de Deus Barbosa Nascimento Júnior Convenção de Minamata, que restringe uso de mercúrio, é assinada por 92 países em conferência no Japão

O Brasil como referência no combate ao trabalho infantil, por Cristiano Morsolin

  O Brasil como referência no combate ao trabalho infantil na 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil   Brasília, 10/10/2013 - No encerramento da 3ª Conferência Global sobre Trabalho Infantil, a OIT apresenta a campanha "Cartão Vermelho para o Trabalho Infantil", com peças publicitárias que serão utilizadas para sensibilizar a sociedade sobre a situação de milhões de meninas e meninos em todo o planeta obrigados a trabalhar. Foto de Fabio Rodrigues Pozzebom /

O Plano de Desenvolvimento Sustentável- Zoneamento Econômico Ecológico da Área de Abrangência da Rodovia Br- 163 e a Segurança Alimentar da População do Norte do Estado do Mato Grosso – Uma Questão Esquecida? artigo de João de Deus Barbosa Nascimento Júnior

  O PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL- ZONEAMENTO ECONÔMICO ECOLÓGICO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA RODOVIA BR- 163 E A SEGURANÇA ALIMENTAR DA POPULAÇÃO DO NORTE DO ESTADO DO MATO GROSSO – UMA QUESTÃO ESQUECIDA? João de Deus Barbosa Nascimento Júnior* Resumo: A abertura da Rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163), em 1973, representou uma oportunidade de integração nacional e expansão das atividades econômicas e, ao mesmo tempo, um dos episódios mais sofridos da história recente do nosso

Convenção de Minamata, que restringe uso de mercúrio, é assinada por 92 países em conferência no Japão

  Baterias, switches, relês, alguns tipos de lâmpadas fluorescentes, sabonetes e cosméticos estão entre alguns produtos que usam mercúrio. Foto: US gov   A Convenção de Minamata sobre mercúrio, aberta para assinaturas na quinta-feira (10), foi adotada por 92 países em conferência diplomática no Japão, incluindo o Brasil. O texto ainda precisa ser ratificado, após a assinatura. A Convenção entrará em vigor somente 90 dias após ter sido ratificado por pelo menos 50

Projeto na UFRJ vai produzir energia elétrica a partir da energia solar

  Elena Mandarim    Divulgação/UFRJ               Watanabe: geração de energia elétrica a partir da energia solar A geração de energia elétrica por meio da utilização do sol, do vento e das ondas do mar ou maré está cada vez mais popular no Brasil. Em abril deste ano, o governo federal lançou o Plano de Ação Conjunta Inova Energia, com um aporte de R$ 3 bilhões para serem investidos em novas propostas de inovação tecnológica, principalmente para o setor de

Barreiras econômicas e regulatórias travam geração renovável e eficiência energética em edifícios

  Para economista, que escolheu a Alemanha como estudo de caso, Brasil precisa aprimorar quadro regulatório   As edificações são responsáveis por 44,7% do consumo total de eletricidade no Brasil, sendo que esta participação está dividida em fatias de 22,1% para os edifícios residenciais, 15% para os comerciais e 7,6% para os prédios públicos. Ainda que a crise energética de 2001 tenha induzido a uma redução do consumo nos edifícios brasileiros, essa tendência

Adubação verde ajuda a fertilizar o solo e a reduzir deslizamentos

  Vinicius Zepeda*    Divulgação/Embrapa Agrobiologia                    Na região serrana fluminense, trator auxilia na colocação de aveia-preta triturada para ser usada como planta de cobertura Em janeiro de 2011 fortes chuvas causaram deslizamentos de terra e assolaram a região serrana fluminense, em especial a cidade de Nova Friburgo, causando mortes e deixando milhares de desabrigados, além de sérios prejuízos. Região de forte riqueza agrícola, muito do solo local tornou-se infértil e, para recuperar seus lucros

O Semiárido ergue as mãos para o alto, artigo de Washington Novaes

    [O Estado de S.Paulo] São boas notícias. Em reunião na Namíbia, há poucos dias, a Convenção da ONU para combate à Desertificação, que debatia o uso de tecnologias para uso sustentável da terra, decidiu adotar práticas do Departamento de Combate à Desertificação do nosso Ministério do Meio Ambiente, que põem ênfase na convivência sustentável com ambientes naturalmente áridos - e não tentativas de "combate à seca", como fizeram durante décadas

Hidrelétrica de Teles Pires. ‘A floresta é destruída sem cerimônia e deixa a terra nua, vulnerável e sangrando’. Entrevista com Telma Monteiro

  “Os impactos negativos e mal dimensionados nos estudos são recorrentes em todos os projetos hidrelétricos que estão sendo licenciados”, afirma a especialista em análise de processos de licenciamento ambiental. Foto: http://bit.ly/17kagTW A determinação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região de paralisar as obras da usina hidrelétrica de Teles Pires está relacionada à falta do Estudo do Componente Indígena – ECI, apesar da Licença Prévia para a construção da hidrelétrica ter sido concedida

Comida industrial: adoecendo as pessoas e o planeta, por Silvia Ribeiro

    Por Silvia Ribeiro Do La Jornada As cinco doenças mais comuns no México estão ligadas à produção e ao consumo de alimentos provenientes da cadeia agroalimentar industrial: diabetes, hipertensão, obesidade, câncer e enfermidades cardiovasculares. Algumas totalmente, outras parcialmente, mas nenhuma dissociada. Isso se traduz em má qualidade de vida e tragédias pessoais, mas além disso em altos gastos com atendimento médico e com o orçamento de saúde pública, e um enorme subsídio oculto

Capitalismo e soberania alimentar

    Há várias gerações que o capitalismo persegue o campo, persegue sua produção, seu modo de vida, persegue sua transformação em um dos seus elementos motores, e para isso, corre para conseguir (praticamente já o fez) abolir o modelo ancestral de cultura camponesa que durante séculos desfrutamos, desfrutaram as gerações passadas. Para isso e em primeiro lugar, fomenta-se a produção dos modos de vida consumistas das grandes cidades, ao mesmo tempo

Política contraindigenista busca mais terreno para o agronegócio

  Nos últimos anos, presenciamos a ascensão de uma verdadeira política contraindigenista que, literalmente, busca abrir terreno à expansão espacial do capital. A reportagem é de Fábio Alkmin e Manuela Otero e publicada pelo Brasil de Fato, 09-10-2013. Entendido não só como meio de vida material, mas também como espaço simbólico e político para o exercício da identidade, o “território” é reivindicado e defendido com cada vez mais ênfase por grande parte dos

Top