Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.739, de 14/12/2012

    A população do Paquistão em 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Setor elétrico: ganância de alguns, prejuízos de muitos, artigo de Heitor Scalambrini Costa A Cidade de Deus e a Cidade dos Homens: As metrópoles tem futuro? por Paulo Sanda Casos de câncer causados por agrotóxicos aumentam em Unaí, MG Desmatamento da Amazônia gera mais CO2 que total de carros do país, diz Imazon No Tapajós, o desenvolvimento atropela

A população do Paquistão em 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

      [EcoDebate] O Paquistão fazia parte, junto com Bangladesh da grande civilização da Índia. Em 15 de agosto de 1947, a Índia conseguiu sua independência do domínio britânico, sendo que as zonas de maioria muçulmana se separam para formar um novo país com duas áreas separadas, o Paquistão Ocidental e Oriental. De 1947 a 1971 Bangladesh (parte oriental) e Paquistão (parte ocidental) faziam parte de um só país. Em 1971, depois

Setor elétrico: ganância de alguns, prejuízos de muitos, artigo de Heitor Scalambrini Costa

    [EcoDebate] O setor elétrico está presente na mídia já algum tempo com uma agenda negativa. Apagões, “apaguinhos”, tarifas imódicas, devastação ambiental, construção de grandes hidroelétricas em áreas de proteção ambiental em plena floresta amazônica provocando expulsão de populações indígenas de seus territórios, incentivo a termoelétricas a combustíveis fósseis altamente poluentes, construção de polêmicas usinas nucleares. Estes são alguns de seus malfeitos. Mais recente é a polêmica causada pela estratégia adotada pelo

A Cidade de Deus e a Cidade dos Homens: As metrópoles tem futuro? por Paulo Sanda

    As cidades estão crescendo, ou melhor estão inchando. Em 1789 a população mundial era de 20 milhões de pessoas. Hoje só em São Paulo temos cerca de 20 milhões de pessoas, toda a população mundial de então agora numa cidade só. Sem contar as outras maiores cidades do mundo como Cidade do México, Mumbai, Délhi, Seul, Nova York, Rio de Janeiro, etc. A cidade vive a pluralidade de gente, de cultura,

Casos de câncer causados por agrotóxicos aumentam em Unaí, MG

    Denúncias foram trazidas à ALMG por especialistas e movimentos sociais, em audiência pública nesta quarta-feira (12). Representantes de movimentos sociais, professores e membros do Poder Judiciário defenderam, em audiência pública da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, que o número de casos de câncer em adultos e crianças, motivados pelo consumo e contato com agrotóxicos, está crescendo na cidade de Unaí e na região Noroeste do Estado.

Desmatamento da Amazônia gera mais CO2 que total de carros do país, diz Imazon

    Mesmo com o registro de queda recorde no desmatamento da Amazônia Legal deste ano,  os efeitos da destruição da mata persistem, como a emissão de CO2, afirma Paulo Barreto,  pesquisador sênior do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Em uma estimativa apresentada ao G1, o pesquisador avalia que o desmate entre 2011 e 2012 tenha levado à liberação de 245,3 milhões de toneladas de CO2 no ar,

No Tapajós, o desenvolvimento atropela angústias e anseios da população local

  Nas comunidades a serem afetadas pelas usinas no rio Tapajós, entre angústia e anseios, a desinformação impera, enquanto avançam os planos para as obras Por Carlos Juliano Barros, de A Pública “Morrer na lama, debaixo d’água, é que é triste, né? Mas, achando um lugar onde a gente escape para morrer sossegado, quem me acompanha é Deus e meus filhos”. É humanamente impossível deixar de prestar atenção às palavras que pausadamente saem

População brasileira poderá produzir a própria energia elétrica e fornecer o excedente às concessionárias

    Resolução Normativa publicada pela ANEEL em junho que permite ao consumidor aderir ao sistema de compensação de energia elétrica começa a valer em dezembro. O ano de 2012 foi marcado por muitas medidas do Governo Federal para o setor energético brasileiro. Além do anúncio feito em setembro pela Presidente Dilma Rousseff sobre a redução das taxas de energia para residências, comércios e indústrias que vão variar entre 16% e 28% a

RJ: Governador retira projeto de lei que ‘flexibiliza’ licenciamento ambiental, mas apresentará nova mensagem

    Cabral reavalia projeto ambiental polêmico - Diante da forte repercussão negativa e da mobilização contrária do Ministério Público estadual, o governador Sérgio Cabral anunciou ontem que entregou um ofício ao presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Paulo Melo (PMDB), solicitando a retirada do projeto de lei 1.860/2012, que flexibiliza o licenciamento ambiental. De acordo com o governo, o projeto será reavaliado. O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse

Nota do CTI sobre a atividade petroleira ao sul da TI Vale do Javari: mais um atropelo aos direitos dos povos indígenas

  A década de 2000 assistiu a um crescimento expressivo da presença da indústria petroleira na Amazônia Ocidental. No Peru, a política de governo do ex-presidente Alan Garcia agraciou com inúmeras vantagens o setor, levando ao loteamento de mais de 70% da superfície da Amazônia peruana para a exploração de petróleo e gás, mediante um sistema de concessões – apenas entre 2003 e 2009, o incremento da área amazônica loteada passou

MPF e MP/MT obtêm decisão para suspender leilão da Usina Hidrelétrica de Sinop

    O leilão da Usina Hidrelétrica de Sinop estava marcado para o dia 14 de dezembro A Justiça Federal em Sinop suspendeu nesta quarta-feira, 12 de dezembro, o Leilão de Compra de Energia Elétrica de Novos Empreendimentos de Geração, denominado A-5, no que diz respeito à Usina Hidrelétrica de Sinop, e suspendeu a expedição de licença de instalação e início das obras da usina, até que seja julgada uma ação civil pública

Especialistas defendem financiamento público para mídia alternativa

  Audiência Pública Tema - “As formas de financiamento de mídias alternativas”. Renato Rovai (ALTERCOM) - Para Renato Rovai, os veículos alternativos de comunicação devem receber financiamento público. Foto de Renato Araújo.   “Veículos alternativos de comunicação devem receber financiamento público”, defende o presidente da Associação Brasileira de Empresas e Empreendedores da Comunicação (Altercom), Renato Rovai. Para isso, ele propõe alternativas, como a criação de “critérios objetivos” para a distribuição das verbas oficias

Top