Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.725, de 26/11/2012

    Importância do descarte de óleo de cozinha, artigo de Maria Cecília Alves de Vasconcelos O Império, a República, o Futuro, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra Plano de Gerenciamento de Resíduos em Laboratório de Análises Clínicas, por Viviane da Cruz Nunes Vereadores de Camaçari (BA) repudiam envio de lixo tóxico para ser incinerado no município Moradores vizinhos aos terrenos da Rhodia em São Vicente (SP) ignoram riscos de contaminação Rhodia

Importância do descarte de óleo de cozinha, artigo de Maria Cecília Alves de Vasconcelos

    Estudos apontam que um litro de óleo é capaz de poluir 20 mil litros de água, que permanecerá no ambiente por mais de 14 anos até que ela esteja novamente pronta para o consumo humano. [EcoDebate] As consequências do descarte de óleo no ambiente são as mais diversas, afeta animais que ingerem as águas poluídas, impermeabiliza o solo e as raízes de plantas impedindo a absorção de nutrientes, adere às penas

O Império, a República, o Futuro, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra

    [EcoDebate] No turbilhão dos acontecimentos, quem ainda quer saber das coisas do passado, coisas que aconteceram há mais de cem anos como a proclamação da República do Brasil? No entanto, conhecer a historia nos capacita a compreender muitas coisas, percebendo onde as linhas se entortaram, gerando consequências negativas para os dias atuais. A Proclamação da República Brasileira foi um ato de levante político-militar, ocorrido em 15 de novembro de 1889 e que destituiu

Plano de Gerenciamento de Resíduos em Laboratório de Análises Clínicas, por Viviane da Cruz Nunes

  CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS EM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS Viviane da Cruz Nunes Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária 1. PROBLEMAS A disposição inadequada de lixo hospitalar é um dos mais graves problemas ambientais causados pelo homem. A aplicabilidade e o monitoramento de normas e técnicas consistem em determinação á toda Instituição de Saúde e dever de cidadão. Adequar às fases de segregação, descarte, acondicionamento, coleta, fluxo

Vereadores de Camaçari (BA) repudiam envio de lixo tóxico para ser incinerado no município

    A Câmara de Vereadores de Camaçari (BA) aprovou, em 22/11, uma moção de repúdio contra o envio de cerca de 5 mil toneladas de material contaminado por resíduos industriais tóxicos de Cubatão (SP) para ser incinerado no município baiano. O texto de autoria do vereador José Marcelino de Jesus Filho (PT) destaca o risco de transportar, por 1,5 mil quilômetros, o resíduo tóxico da empresa multinacional Rhodia. A moção também cita

Moradores vizinhos aos terrenos da Rhodia em São Vicente (SP) ignoram riscos de contaminação

  São Vicente (SP) - Antônio Márcio Mariano da Silva, é funcionário afastado da empresa Rhodia e membro da Associação de Combate aos Poluentes (ACPO). Márcio foi contaminado por substâncias organocloradas como o pó da china (pentaclorofenato de sódio) e o hexaclorobenzeno quando trabalhava na fábrica da empresa. Foto de Marcelo Camargo/ABr   Moradores do entorno de terrenos em São Vicente, na Baixada Santista, que receberam durante décadas o descarte do lixo tóxico

Rhodia diz que lixo tóxico depositado em São Vicente (SP) terá destino diferente que a incineração em Camaçari

  São Vicente (SP) - Galpão da empresa Rhodia próximo ao bairro residencial Gleba II, em São Vicente, na baixada santista. A empresa armazenou durante décadas milhares de toneladas de resíduos tóxicos em terrenos da Baixada Santista. Foto de Marcelo Camargo/ABr.   A empresa Rhodia não planeja dar a mesma destinação do lixo tóxico armazenado na antiga fábrica de Cubatão aos resíduos que estão concentrados em um terreno de São Vicente, município do

Ministério da Agricultura concedeu registro a um agrotóxico antes da criação da marca

    O Ministério da Agricultura concedeu registro a um agrotóxico antes que sua marca comercial fosse oficialmente criada, contrariando a legislação para liberação de defensivos agrícolas no país. O produto também já havia recebido liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sem ter passado por avaliação do órgão. O episódio configura mais uma suspeita de irregularidades envolvendo a liberação de agrotóxicos, processos que envolvem a Anvisa (que avalia os danos do

Empresa acreana produz telhas plásticas feitas de resíduos coletados em aterro e nas ruas de Rio Branco

    Produtos, certificados pelo Inmetro, FGalcon Bower e IPT, foram apresentados no Amazontech 2012, em Macapá, Amapá O plástico, quem diria, está deixando de ser vilão ambiental e se tornando alternativa para projetos de construção sustentável. Telhas plásticas feitas de polipropileno puro, proveniente de materiais 100% recicláveis, garantem alta resistência, leveza e longa durabilidade a casas e edificações em geral. Essas são as características dos produtos da Plasacre, empresa de Rio Branco

‘A política agrária brasileira nunca deixou de ser uma pequena política’. Entrevista com José Juliano de Carvalho Filho

  “O agronegócio é um mal para a nação, porque concentra a renda, cria pobreza, destrói emprego”, constata o economista. Confira a entrevista. “Já retiraram o tema da pauta e ficam nos enganando de vez em quando”.  É com esta declaração que o professor da USP e membro da Associação Brasileira da Reforma Agrária – ABRA, José Juliano de Carvalho Filho, resume a discussão acerca da reforma agrária no Brasil. Para ele,

Nova corrida pelo ouro. Entrevista com Telma Monteiro

  “A estrutura a ser criada no novo Marco Legal da mineração é exatamente similar ao da energia elétrica, só mudam as siglas”, constata a educadora ambiental. Confira a entrevista. “O mesmo Estado que criou áreas de proteção para preservar os biomas demarcou terras indígenas, discutiu por anos a fio o novo Código Florestal, e agora está criando um monstro na forma de um novo Marco Legal da mineração que vai afetar

IAC e UNESP promovem o II Encontro sobre Gestão de Impactos Ambientais na Agricultura

    INSTITUTO AGRONÔMICO E UNESP PROMOVEM   II ENCONTRO SOBRE GESTÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS NA AGRICULTURA.   No dia 30 de novembro de 2012, o CENTRO DE ENGENHARIA E AUTOMAÇÃO do INSTITUTO AGRONÔMICO - IAC E a UNESP – Campus SOROCABA estarão promovendo a realização do II ENCONTRO SOBRE GESTÃO DE IMPACTOS AMBIENTAIS NA AGRICULTURA, com objetivo de discutir as questões relacionadas com as atividades que envolvem a prevenção e mitigação de impactos ambientais. O

Top