Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.668, de 30/08/2012

    As utopias do universo natural e as relações implícitas, artigo de Roberto Naime A Panacéia Socioambiental, artigo de Bruno Versiani dos Anjos Baixo Parnaíba: O Iterma eliminou as dúvidas sobre as Chapadas do Pólo Coceira, por Mayron Régis No interior do Piauí só tem água quem vota no político que está no poder, por Tânia Martins Comissão mista do Congresso aprova MP que altera o Código Florestal Acordo sobre recomposição

As utopias do universo natural e as relações implícitas, artigo de Roberto Naime

    [EcoDebate] A biologia contribui com alguns dos mais importantes conceitos para o conhecimento do ambiente e para a planificação de sua gestão, dentro de conceitos que podem mudar a interpretação do mundo, priorizando as observações naturais. Talvez se possa afirmar que o próprio estabelecimento da ciência ecológica, suas relações com as outras ciências e sua relevância para a humanidade sejam suficientes para legitimar a importância da biologia dentro do contexto

A Panacéia Socioambiental, artigo de Bruno Versiani dos Anjos

    [EcoDebate] Há algumas décadas atrás, quando começava minha militância em prol da causa ambiental, especialmente no tocante à defesa das florestas tropicais, me chamou a atenção a leitura de um livro intitulado "Mito Moderno da Natureza Intocada" (de Antonio Carlos Sant'Ana Diegues, sem dúvida constitui um clássico da literatura ambiental e uma obra referencial), em que se discutia não apenas o modelo de unidades de conservação em que não havia

Baixo Parnaíba: O Iterma eliminou as dúvidas sobre as Chapadas do Pólo Coceira, por Mayron Régis

    [Territórios Livres do Baixo Parnaíba] Em mais de cinco anos, as comunidades do pólo Coceira presenciaram o surgimento de inúmeras hipóteses que ou confirmavam ou que desmentiam a versão propalada pela Suzano que quase sete mil hectares do município de Santa Quitéria de fato lhe pertenciam. Uma das primeiras versões, na qual as comunidades logo se apegaram para prover de sentido sua luta pela regularização fundiária do seu território, encartava documentos

No interior do Piauí só tem água quem vota no político que está no poder, por Tânia Martins

    Neste momento em que cerca de um milhão de pessoas do semiárido do Piauí, estão atravessando uma das mais longas secas já vista por essas bandas, denúncias apontam que políticos das regiões atingidas estão aproveitando a dor das famílias para se beneficiarem através da troca de água por voto. Os exemplos são muitos e ocorrem desde a área da Chapada do Araripe, próximo a divisa com o Ceará, na região

Comissão mista do Congresso aprova MP que altera o Código Florestal

  Brasília - Parlamentares na comissão mista que examina a medida provisória (MP) do Código Florestal. Foto de Antonio Cruz/ABr   A análise da recomposição de áreas de proteção permanentes (APPs), em propriedades que foram desmatadas irregularmente, foi retomada ontem (29) como condicionante para a votação da Medida Provisória 571/2012, que altera o Código Florestal. A matéria foi aprovada na comissão mista do Congresso que analisa o tema e, agora, segue para análise

Acordo sobre recomposição de APP permite alterações na MP do Código Florestal

  Brasília - O senador Luiz Henrique (PMDB-SC), que é relator da medida provisória (MP) do Código Florestal, e o vice-presidente da comissão mista que debate o texto, senador Jorge Viana (PT-AC). Foto de Antonio Cruz/ABr   Acordo sobre a recomposição de áreas de preservação permanente (APPs) de margens de rio, ponto mais polêmico desde o início dos debates, possibilitou a aprovação, na tarde desta quarta-feira (29), das alterações à Medida Provisória 571/12,

Comissão mista que analisa a MP do Código Florestal diminui área preservada em margens de rios

  Brasília - Parlamentares conversam durante a comissão mista que examina a medida provisória (MP) do Código Florestal. Foto de Antonio Cruz/ABr   A comissão mista que analisa a Medida Provisória do Código Florestal (MP 571/12) acaba de aprovar por votação simbólica as mudanças no texto, propostas pelo relator da medida, senador Luiz Henrique (PMDB-SC). Se por um lado, os parlamentares aprovaram a proteção aos rios intermitentes (com exceção dos cursos d’água efêmeros), uma

Governo do Amazonas vai anunciar medidas para controlar mercúrio nos garimpos de extração de ouro

    Sob pressão de cientistas, ambientalistas e do Ministério Público, o governo do Amazonas vai aperfeiçoar a polêmica Resolução 011/2012 que regulamenta o uso de mercúrio na separação de ouro nos garimpos de extrativismo familiar nos rios amazonenses. As medidas serão apresentadas oficialmente nesta quinta-feira (30) em reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Amazonas (Cemaam). Publicada em 15 de junho pelo Cemaam, a Resolução recebeu uma onda de críticas de

Investimentos em energia eólica devem chegar a R$ 40 bilhões até 2020

    A energia eólica vive agora nova etapa de competitividade no país, com previsão de investir, até 2020, mais R$ 40 bilhões. Essa nova fase, iniciada em 2009, totaliza a contratação de 6,7 gigawatts (GW) de potência, ao preço de R$ 100 por megawatt/hora (MWh). Os primeiros investimentos em energia eólica no país foram feitos em 2004, com subsídios do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). O objetivo

Inventor brasileiro que criou privada ecológica espera financiamento para aumentar produção

    Uma privada ecológica, idealizada por um inventor brasileiro, pode revolucionar a área de saneamento básico. Durante seis anos, Mario Benedito da Silva, morador de uma área de garimpo em Rondônia, dedicou-se a pesquisar como fazer para que os dejetos não fossem lançados em riachos nem no solo e não contaminassem o meio ambiente. O despejo de efluentes in natura nos rios é proibido por lei. E, como os garimpos têm buracos

Comunidade Guarani Kaiowá em MS é novamente atacada a tiros

  Foto: Cimi   Três meses depois da reunião entre representantes do governo federal e lideranças indígenas em busca de soluções para a pacificação da região sul de Mato Grosso do Sul, um grupo da comunidade Guarani Kaiowá foi novamente atacada a tiros por pessoas não identificadas. A suspeita dos indígenas é de que o ataque, em 29/8, assim como os de outras ocasiões, partiu de fazendeiros da região que tentam reaver a

Top