Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.649, de 03/08/2012

    Dubai: cidade ecologicamente insustentável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Amazônia: Entre abril e julho, 650,3 km2 de desmatamento e degradação foram identificados pelo DETER/INPE Justiça decide que obras em Usina Hidrelétrica de Teles Pires ficam suspensas Termina o prazo para municípios apresentarem planos de gestão de resíduos sólidos Pesquisa mostra os efeitos da resistência a inseticidas no mosquito da dengue Em nota, antropólogos e cientistas repudiam portaria da AGU contra povos

Dubai: cidade ecologicamente insustentável, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] Dubai é uma cidade que se vende como se fosse uma grande Itu do deserto. Em Dubai tudo é superlativo: o mais alto prédio do mundo, o hotel mais luxuoso e caro do globo, o maior shopping center, o maior aeroporto, etc. Além disto, construiram uma montanha de neve artificial para esqui, piscinas com ondas, um campo de golf que precisa de milhões de galões de água por dia,

Amazônia: Entre abril e julho, 650,3 km2 de desmatamento e degradação foram identificados pelo DETER/INPE

    INPE divulga dados do DETER Entre abril e julho, 650,3 km2 de áreas de alerta de desmatamento e degradação foram identificados pelo DETER, o sistema baseado em imagens de satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) destinado a orientar a fiscalização na Amazônia Legal. Desse total, 232,6 km2  foram verificados em abril, 97,5 km2  em maio, 107,5 km2 em junho e 212,7 km2 em julho.  A tabela a seguir distribui esses

Justiça decide que obras em Usina Hidrelétrica de Teles Pires ficam suspensas

    Consórcio poderá arcar com multa diária de R$ 100 mil, caso descumpra decisão Em julgamento realizado nesta quarta-feira, dia 1º de agosto, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) manteve a suspensão das obras da Usina Hidrelétrica de Teles Pires, na divisa entre Pará e o Mato Grosso, conforme recomendou parecer do Ministério Público Federal. A decisão, proferida pela totalidade dos desembargadores da 5ª turma ainda determinou a aplicação de

Termina o prazo para municípios apresentarem planos de gestão de resíduos sólidos

    A partir de ontem (2), mais de 90% dos municípios brasileiros correm o risco de ficar sem a ajuda dos recursos federais para investir em qualquer forma de manejo de resíduos sólidos. Isso porque termina o prazo para que as prefeituras apresentem ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) seus planos de gestão de resíduos sólidos. A Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, há dois anos, prevê

Pesquisa mostra os efeitos da resistência a inseticidas no mosquito da dengue

  Pesquisador alerta que a forma mais eficaz de diminuir a proliferação do Aedes é por meio da eliminação dos criadouros, e não pela utilização de inseticidas   O estudo identificou que a resistência tem um custo evolutivo para o vetor, afetando seu desenvolvimento, tempo de vida e reprodução. Foram realizados testes com mosquitos de populações de cinco cidades: Fortaleza, Maceió, Cuiabá, Uberaba e Aparecida de Goiânia Não é de hoje que o uso

Em nota, antropólogos e cientistas repudiam portaria da AGU contra povos indígenas

  Marcha dos Povos Indígenas de Roraima: Contra as Portarias Institucionais 303 e 308 da AGU. Foto: CIR - Conselho Indígena de Roraima / Cimi   A Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e a Comissão de Assuntos Indígenas (CAI) repudiam, em nota encaminhada ao Jornal da Ciência, a portaria da Advocacia-Geral da União (AGU), nº 303, publicada em 17 de julho no Diário Oficial da União. A avaliação é de que essa iniciativa

Quilombo Rio dos Macacos: Governo busca consenso na disputa entre Marinha e quilombolas

  Quilombo Rio dos Macacos. Imagem socializada por Ione Rochael, no Facebook   Embora ainda haja impasse referente à realocação dos moradores do Quilombo dos Macacos, no município de Simões Filho (BA), o governo federal tenta um consenso para se chegar a uma convivência pacífica entre a comunidade quilombola e a Marinha, que instalou uma vila militar na área e reivindica na Justiça a posse da terra. De acordo com Diogo de Sant'Ana, chefe

Quilombo Rio dos Macacos: Realocação é principal motivo de impasse entre governo e quilombolas

  Quilombo Rio dos Macacos. Imagem socializada por Ione Rochael, no Facebook   Mesmo com a conclusão do relatório elaborado pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra) que reconhece que a área do Quilombo Rio dos Macacos, na Bahia, como uma terra remanescente de escravos, a proposta em elaboração pelo governo ainda cogita a realocação das famílias quilombolas para um terreno localizado a 500 metros do local. Esse é o principal ponto

PE: MPF obtém condenação de responsável pelo Engenho Poço por submissão de trabalhadores a condição análoga à de escravo

    Trabalhadores cumpriam jornada exaustiva, em condições degradantes, no Engenho Poço, em Palmares O Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco obteve a condenação, na Justiça Federal, de Romildo Soares Brandão, responsável pelo Engenho Poço, situado em Palmares, na Zona da Mata pernambucana, por submeter 62 trabalhadores a condição análoga à de escravo. A atual responsável pelo caso é a procuradora da República Carolina de Gusmão Furtado. As irregularidades foram constatadas durante fiscalização do

Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) disponibiliza dados sobre segurança alimentar e nutricional pela internet

    O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) desenvolveu dois sistemas para permitir o acesso a informações sobre segurança alimentar e nutricional por meio da internet. Os gestores poderão acompanhar com detalhes os dados sobre produção, gastos, acesso e disponibilidade de alimentos no país, facilitando, assim, a implantação de projetos e ações. O primeiro sistema, chamado PAA Data, é uma ferramenta que apresenta dados referentes ao Programa de Aquisição

Álcool e outras drogas: debates interdisciplinares para combater o alarmismo e os equívocos do senso comum

  Psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, médicos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas: ao todo, 28 autores com variados perfis e experiências produziram os 16 capítulos do livro Álcool e outras drogas: diálogos sobre um mal-estar contemporâneo, cujas análises, muitas vezes, põem em xeque o senso comum. “Senso comum que insiste em tingir com alarmismo apocalíptico as drogas, investindo-as de um caráter metafísico maléfico que estão longe de possuir”, escreve o médico psiquiatra e doutor

Top