Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.604, de 31/05/2012

  A fenomenologia incidental e os eventos catastróficos do rio dos Sinos no Rio Grande do Sul, artigo de Roberto Naime Como o diabo gosta e os ruralistas adoram, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) O correto equacionamento da questão florestal no espaço urbano, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos Governo mantém artigo sobre recuperação de APPs no novo Código Florestal Teste realizado no IPT compara a biodegradação de quatro diferentes tipos

A fenomenologia incidental e os eventos catastróficos do rio dos Sinos no Rio Grande do Sul, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] Hans-Georg Gadamer, Martin Heidegger e seu preceptor Edmund Husserl criaram um modelo kantiano, ou coperniciano da colocação ou projeção da perspectiva. Neste sentido, a sua metodologia operava uma inflexão do ponto de vista, na medida em que o foco deveria ser desviado do que eles denominavam “dasein” e que pode ser traduzido como o ser no mundo, para o ser propriamente dito. Além da sua relação com a fenomenologia, a

Como o diabo gosta e os ruralistas adoram, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  [EcoDebate] Os ruralistas plantaram na sociedade brasileira não um bode, nem apenas um jumento, sequer um hipopótamo: plantaram a monocultura mental do setor no coração da nação. Fizeram uma guerra e ganharam. Venceram todos, inclusive o governo que finge ter resgatado algo de digno no vilipendiado Código Florestal. Enfim, plantaram um ruralista na encruzilhada à meia noite. A ameaça de 50 emendas é apenas demonstração de força, prepotência total, que esse

O correto equacionamento da questão florestal no espaço urbano, artigo de Álvaro Rodrigues dos Santos

  [EcoDebate] Como facilmente se previa, o debate sobre a questão florestal e ambiental no espaço urbano foi totalmente sufocado pela polêmica central entre ruralistas e ambientalistas nas discussões a propósito do novo Código Florestal. Como consequência, perdeu-se mais uma vez a oportunidade de se tratar a questão urbana dentro de sua magnitude ambiental (é nas cidades que vivem hoje mais de 85% dos brasileiros) e de sua singularidade. A propósito,

Governo mantém artigo sobre recuperação de APPs no novo Código Florestal

  O governo não voltou atrás no artigo do novo Código Florestal sobre recomposição de áreas de proteção permanentes (APPs), segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Um dia depois da publicação da medida provisória editada pelo governo, o texto que tratava de recuperação dessas áreas permitindo o uso de espécies nativas foi alterado. “Não houve uma nova publicação, mas uma retificação. A proposta do governo para recuperação de áreas desmatadas

Teste realizado no IPT compara a biodegradação de quatro diferentes tipos de sacolas de supermercado

  Sob contratação da Rede Globo de Televisão, para série de matérias publicadas no Jornal SPTV 1º Edição, o Centro Tecnológico de Processos e Produtos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) realizou um estudo para comparar o comportamento biodegradável de quatro diferentes embalagens vendidas ou dadas em supermercados. Dentro dos tubos de ensaio são colocadas as amostras de plástico junto com uma solução mineral para que elas sejam consumidas por micro-organismos Para serem

Amazônia na Rio+20

  Confira o resumo da conferência promovida ontem (30), por Ennio Candotti, vice-presidente da SBPC, no Encontro em que se debateu a "Carta da Amazônia para a Rio+20", promovido pelas secretarias de Desenvolvimento Sustentável dos governos da Amazônia. A Amazônia: a conservação e a pobreza, o desenvolvimento e os cuidados com o ambiente, o conhecimento e a cultura, estão na pauta das discussões da Rio +20. Sucessivos governos pautaram suas políticas de desenvolvimento

Rio+20: Para especialistas, governo prefere estimular o consumo a mediar transição para economia verde

  Sustentabilidade está fora da agenda da política pública - As discussões na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, serão orientadas segundo dois eixos básicos: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza e o arcabouço institucional para esse mesmo desenvolvimento. Sobre o primeiro eixo, a rádio Estadão ESPN, em parceria com o Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces),

Rio+20: Rejeição da indústria em cortar emissões ameaça metas de economia ‘verde’ do País

  Resistência da indústria ameaça metas de economia verde do País - A indústria brasileira resiste a reduzir as emissões de gases de efeito estufa e a expansão do consumo de etanol decepciona, obrigando o governo a rever as metas de combate ao aquecimento global, definidas há mais de dois anos. Às vésperas da Rio+20, negociações de bastidores mostram que há pedras no caminho para a economia verde no Brasil. Reportagem

Rio+20: Cercado de verde, Rio decepciona com praias poluídas e baixo índice de coleta de lixo e saneamento

  Capital da Rio+20 é insustentável - Cidade que vai abrigar a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, o Rio está longe de ser uma capital verde. A cidade acumula problemas - esgoto que contamina praias e lagoas, falta de coleta seletiva, transporte concentrado em ônibus - e seus moradores ainda resistem a abandonar hábitos pouco ecológicos, como as sacolinhas plásticas. Em resumo, a sede da Rio+20 ainda não fez

A Rio+20 começa em Itacuruba, PE

  Entre os dois eixos da Transposição de águas do Rio São Francisco, em direção ao território Pankará, onde o governo pretende instalar a primeira usina nuclear do Nordeste, no coração do Semiárido em período de seca, uma marcha de indígenas, quilombolas, movimentos sociais, populações urbanas, igrejas, homens, mulheres e crianças, inaugura a Rio+20 em pleno sertão de Pernambuco no dia 3 de junho. As grandes obras não resolveram o problema do

MPF/BA denuncia 13 por crimes ambientais que causaram degradação na Ilha dos Frades

  Entre os denunciados estão servidores da Sucom e SMA que favoreceram a ação da quadrilha, cujos integrantes comandaram e executaram obras na Ilha sem autorização dos órgãos estaduais e federais competentes, invadiram terreno da União e cercearam o uso de áreas públicas aos moradores e turistas Na última sexta-feira, 25 de maio, o Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) denunciou quatro empresas e nove pessoas por uma série de crimes praticados

Comissão do Senado aprova suspensão de crédito para quem explorar mão de obra escrava

  Produtores e cooperativas rurais condenados em decisão administrativa final por exploração de mão de obra análoga à escravidão poderão perder o direito a qualquer concessão de créditos e subvenção econômica do governo. A proposta foi aprovada ontem (30) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado e, agora, será submetida em caráter terminativo à Comissão de Agricultura. Se aprovada, seguirá para a análise da Câmara dos Deputados. A relatora, Ana Amélia

Carta de Januária – Por uma Revitalização Popular da bacia do Rio São Francisco

  CARTA DE JANUÁRIA III ENCONTRO POPULAR DA BACIA DO SÃO FRANCISCO “Por uma revitalização popular” Nós, indígenas, quilombolas, comunidades de fundo e fechos de pasto, pescadores, ribeirinhos, geraizeiros, comunicadores populares, pastorais, ONGs, representantes do povo do rio São Francisco, reunidos entre os dias 25 a 27 de maio de 2012, em Januária/MG, constatamos a triste e repetitiva situação de nosso rio e dos povos que lhe pertencem, mas também as resistências, lutas e

Publicidade para o público infantil e má educação alimentar colocam em risco a saúde de crianças e adolescentes

  Um cardápio gordo em casa e na TV - Isabela Morais Publicidade para o público infantil, aliada à má educação alimentar da família, coloca em risco a saúde de crianças e adolescentes A mãe relata que o filho, que tem por volta de cinco anos de idade, não gosta de palmito. Na mesa, ela tenta alimentá-lo, mas ao estender o talher, a criança diz, ainda com o vocabulário engraçado de quem está aprendendo

Apesar de aumento de áreas florestais ocupadas por comunidades locais, grupo alerta para risco de retrocesso

  A área de floresta sob o controle de comunidades locais e indígenas nos países em desenvolvimento aumentou de 12% para 31%, nos últimos 20 anos. Mas essa conquista de milhões de comunidades tradicionais que vivem nesses territórios corre o risco de retrocesso, avalia o grupo de organizações internacionais, regionais e comunitárias conhecido como Iniciativa para Direitos e Recursos (RRI, na sigla em inglês). O estudo, divulgado ontem (30) pelo grupo, analisou

Uma em cada sete pessoas passa fome no mundo, diz Graziano, diretor-geral do FAO

  Atualmente uma pessoa em cada grupo de sete passa fome no mundo, alertou ontem (30) o diretor-geral do Fundo da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), o brasileiro José Graziano da Silva. Segundo ele, o quadro atual tem de ser revertido e um momento importante para a discussão de propostas nesse sentido será a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. A expectativa

Soja transgênica: grão que confronta Monsanto a milhões de brasileiros

  O que começou como contrabando virou tábua de salvação e pleito legal: a soja transgênica, responsável por 85% da produção brasileira, enfrenta a Monsanto, com cinco milhões de produtores, pelo pagamento de direitos sobre sementes modificadas. Matéria de Héctor Velasco, da AFP, no Yahoo Notícias. Por volta de meados dos anos 1990, o gigante agroquímico americano Monsanto começou a comercializar a soja alterada geneticamente nos Estados Unidos para contrabalançar os efeitos

Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.603, de 30/05/2012

  O mundo pode escolher entre 6 e 16 bilhões de habitantes em 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Senado aprova MP que altera limites de oito áreas ambientais na Amazônia INPE e SOS Mata Atlântica divulgam novos dados do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica Mata Atlântica perdeu 13 mil hectares em um ano Com a aprovação do Código Florestal, os 7,9% que restam de Mata Atlântica podem

O mundo pode escolher entre 6 e 16 bilhões de habitantes em 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O futuro é uma página em branco na qual podemos escrever nosso destino, respeitando as limitações e as circustâncias históricas. O futuro da economia e da população depende das decisões que se tomam no presente e das medidas colocadas em prática nas décadas subsequentes. Em relação ao futuro da população mundial, as projeções da Divisão de População da ONU apontam para três cenários até 2100, que variam de 6 a

Top