Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.581, de 30/04/2012

  12 anos de privatização da CELPE, artigo de Heitor Scalambrini Costa Belo Monte e Rio+20, por Telma Monteiro Código Florestal: Confira os principais pontos aprovados e rejeitados Nota Pública da CPT: Bancada Ruralista impõe Código Florestal Contag leva a Dilma Rousseff queixa sobre pontos aprovados do Código Florestal Texto do Código Florestal aprovado na Câmara é alvo de críticas de senadores Código Florestal: Presidente da SNA diz que reflorestar 'seria

12 anos de privatização da CELPE, artigo de Heitor Scalambrini Costa

  [EcoDebate] No dia 17 de fevereiro de 2000, a Companhia Energética de Pernambuco - Celpe foi comprada, em leilão na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro com um único concorrente, o Consórcio Guaraniana (formado pela Iberdrola Energia, Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil-Previ e BB Banco de Investimentos S.A), por R$ 1,7 bilhões. O contrato de concessão, com validade por um período de 30 anos, foi

Belo Monte e Rio+20, por Telma Monteiro

  Versão em português da entrevista sobre Belo Monte e a Rio+20 concedida ao jornalista Mauro Villone, do jornal La Stampa, Itália.  Belo Monte e Rio+20  Mauro Villone: Qual é a situação real atual do projeto da barragem? A que ponto estão os trabalhos? Telma Monteiro:Belo Monte já é uma grande cicatriz sangrando na Amazônia. As obras já vão avançadas invadindo o leito do rio Xingu e imagens mostram árvores inteiras e fragmentos de

Código Florestal: Confira os principais pontos aprovados e rejeitados

  APPs * extensão da Área de Proteção Permanente (APP) em torno de rios depende de sua largura, variando de 30 metros (para rios de 10 m) a 500 metros (para rios mais largos que 600 m); * manguezais passam a ser protegidos como APP; * imóveis rurais de até 15 módulos fiscais poderão praticar aquicultura se adotarem práticas sustentáveis de manejo do solo e da água. Precisará de licenciamento ambiental; * obras de defesa

Nota Pública da CPT: Bancada Ruralista impõe Código Florestal

  A Coordenação Nacional da Comissão Pastoral da Terra, CPT, diante da aprovação pela Câmara dos Deputados, na noite de ontem, do assim chamado Novo Código Florestal, quer se juntar ao coro de milhões de brasileiros para manifestar sua indignação diante da imposição da vontade da bancada ruralista sobre a nação brasileira, colocando em risco, como advertiram numerosos cientistas, o próprio futuro do nosso país. Na verdade é muito difícil entender como

Contag leva a Dilma Rousseff queixa sobre pontos aprovados do Código Florestal

  Representantes da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) criticaram, no dia 27, em reunião com a presidenta Dilma Rousseff, o texto do Código Florestal aprovado na Câmara dos Deputados, no último dia 25. Conforme os sindicalistas, a presidenta não falou em decisão de veto, mas garantiu que vai “estudar o caso”. “Dissemos para a presidenta que dois pontos nos desagradam: a multa dos grandes produtores, que foi anistiada; e [o

Texto do Código Florestal aprovado na Câmara é alvo de críticas de senadores

  O texto do novo Código Florestal Brasileiro aprovado pelos deputados na noite de quarta-feira (25) foi criticado pelos senadores na sessão plenária de 27/4. O projeto da Câmara encaminhado para sanção presidencial altera o texto elaborado pelos senadores. Relator da matéria no Senado, Luiz Henrique (PMDB-SC) iniciou as sucessivas declarações condenando a atitude dos parlamentares. Segundo ele, toda a tramitação do projeto no Senado contou com a participação dos deputados,

Código Florestal: Presidente da SNA diz que reflorestar ‘seria desperdício fantástico’

  São falsos os argumentos das organizações ambientalistas contrárias ao Código Florestal aprovado no último dia 25 pela Câmara dos Deputados, segundo garantiu à Agência Brasil o presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Antonio Alvarenga. Ele disse que não faria mais sentido transformar novamente em floresta uma área totalmente plantada com soja ou cana, por exemplo. “Seria um desperdício econômico fantástico." O dirigente disse que a proposta aprovada, do ponto de

Código Florestal: cientista diz que 25 de abril marca o principal retrocesso ambiental do País

  Análise de Jean Paul Metzger, professor do Departamento de Ecologia, Instituto de Biociências (USP) e membro do Grupo de Trabalho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) que estuda o Código Florestal. Texto sobre a matéria aprovada na Câmara dos Deputados. 25 de abril de 2012 é um dia histórico para o Brasil. Marca o principal retrocesso ambiental do País e uma importante derrota para a comunidade científica, que

Professor defende investimentos em agroecologia como alternativa ao uso de agrotóxicos

  O Brasil pode deixar de ser o maior consumidor mundial de agrotóxicos e se tornar o maior produtor de alimentos saudáveis. Para que o país viva uma “verdadeira revolução ecológica” é preciso investir no desenvolvimento da agroecologia, destaca o professor Fernando Ferreira Carneiro, chefe do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília (UnB). Ele é um dos responsáveis pelo dossiê lançado em 27/4 durante o Congresso Mundial de Nutrição,

MPF ingressa com ação para combater invasão e desmatamento na Floresta Nacional de Roraima

  Técnicos ambientais relataram invasões e desmatamentos dentro da área da Floresta O Ministério Público Federal (MPF/RR) ingressou com ação civil pública com pedido de liminar contra a União, Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio) e Instituto de Terras de Roraima (Iteraima) com o objetivo de combater a ocupação ilegal e desmatamento da Floresta Nacional de Roraima (FLONA-RR). A investigação do MPF/RR iniciou em decorrência das constantes denúncias de técnicos ambientais

Primeira mulher a presidir a Funai defende ampliação das consultas aos povos indígenas

  Áudio: A nova presidenta da Funai, Marta Maria do Amaral Azevedo, tomou posse nesta quinta-feira. Em entrevista coletiva, ela falou quais serão suas prioridades a frente do cargo. Marta comenta a polêmica envolvendo a construção de grandes empreendimentos, como usinas hidrelétricas, e os impactos em terras indígenas. Ela defende a aplicação da Convenção 169, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que determina a consulta aos povos indígenas nesses casos. Apresentação Sula

Top