Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.549, de 14/03/2012

  Especismo e as desigualdades entre espécies, artigo de José Eustáquio Diniz Alves Os Ruralistas e o Hidronegócio, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) O Estado de Conservação do Palmito Juçara (Euterpe edulis Martius), em áreas de Mata Atlântica no Estado de São Paulo Pesquisa da UFPA indica que lago de Belo Monte pode atingir 9 mil pessoas a mais que o anunciado Ministério Público Federal cobra relatório sobre violações de direitos

Especismo e as desigualdades entre espécies, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

  [EcoDebate] O especismo é a discriminação existente com base nas desigualdades entre espécies. Ocorre, em geral, quando os seres racionais se consideram superiores aos demais seres vivos, inclusive, superiores aos seres sencientes não-racionais. O especismo é uma das consequências do antropocentrismo, que é a concepção que coloca o ser humano no centro das atenções do mundo, definindo a humanidade como a única espécie sujeita de direitos. O especismo e o antropocentrismo

Os Ruralistas e o Hidronegócio, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  [EcoDebate] “Hidronegócio, literalmente o negócio da água”. É assim que o verbete do Dicionário da Educação do Campo (Fiocruz e Movimentos Sociais) define toda atividade econômica que tem a água como sua principal mercadoria. A agricultura industrial consome 70% da água doce utilizada no mundo, portanto, é a principal atividade econômica interessada na água. Estamos próximos da Semana Mundial da Água e, em Marselha, acontece o 6º Fórum Mundial da Água.

O Estado de Conservação do Palmito Juçara (Euterpe edulis Martius), em áreas de Mata Atlântica no Estado de São Paulo

O Estado de Conservação do Palmito Juçara (Euterpe edulis Martius), em áreas de Mata Atlântica no Estado de São Paulo. Andréa Christine Oliveira Andrade (Andrea.christine@uol.com.br) Alexandre Marques (alexxandre_sp@hotmail.com) José Renato dos Anjos (renatoanjosj@yahoo.com.br) Tony masser (masseradi@ig.com.br) Orientador: Profº. Marcelo Eloy Fernandes Pós graduação Engenharia Ambiental UNINOVE Resumo O presente trabalho apresenta a família das palmeiras em especial 3 gêneros: Juçara (Euterpe edulis Mart.), Açaí (Euterpeoleracea Mart.) e Pupunha (Bactrisgasipares Mart). O enfoque foi maior no Juçara, pois é

Pesquisa da UFPA indica que lago de Belo Monte pode atingir 9 mil pessoas a mais que o anunciado

  Estudos feitos por contratada da Norte Energia diziam que alagamento atingirá 16,4 mil pessoas na zona urbana de Altamira, mas pesquisa que adotou apenas referências aprovadas pelo IBGE indica que número de atingidos será de 25,4 mil moradores O número de moradores de Altamira que serão impactados diretamente pela inundação do lago da usina hidrelétrica de Belo Monte poderá ser 55% maior que o registrado nos estudos de impactos ambientais do

Ministério Público Federal cobra relatório sobre violações de direitos humanos em Belo Monte

  O chefe da Procuradoria-Geral da República no Pará, procurador Ubiratan Cazetta, requisitou um relatório produzido pelo Conselho de Defesa de Direitos da Pessoa Humana (CDDPH) sobre as condições humanas observadas nas obras de construção da Usina de Belo Monte, no Rio Xingu (PA). De acordo com o procurador, a requisição foi feita por causa da demora do conselho em apreciar o documento produzido após uma missão especial do CDDPH à

Maria do Rosário quer mudança no relatório e relator diz que ignorar Belo Monte seria ‘irresponsabilidade’

  A ministra Maria do Rosário, da Secretaria de Direitos Humanos, informou ter pedido ao relator da missão especial sobre as denúncias de violações de direitos humanos na região conhecida como Terra do Meio, jornalista Leonardo Sakamoto, que reformule o parecer entregue em novembro do ano passado. De acordo com a ministra, o documento deveria abordar especificamente a questão da violência no campo, e não denúncias de violações de direitos humanos

Belo Monte: Censura da Secretaria dos Direitos Humanos a relatório do CDDPH é atentado à democracia

  Ministra Maria do Rosário afirma que quer retirar capítulo sobre violações de Belo Monte a Direitos Humanos de relatório do CDDPH Há pouco menos de um ano, o Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), órgão ligado à Secretária Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, publicou a Resolução n.3, de 24 de maio de 2011, que instituía uma Comissão Especial para apurar denúncias de violações dos direitos

Entidades cobram políticas públicas para pessoas prejudicadas pela construção de barragens

  Brasilia - O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) fez, durante toda a manhã, protestos em frente à Eletronorte, com o objetivo de reivindicar, do governo, a criação de uma política específica para a área. Segundo a entidade, não há órgão responsável ou política pública para pessoas que tenham sido prejudicadas pela constução de barragens no país. Foto de Elza Fiúza/ABr. Começaram ontem (13) e será intensificada amanhã, Dia internacional de

Funai alerta comunidades indígenas sobre venda ilegal de crédito de carbono

  Fundação Nacional do Índio (Funai) apura denúncia de que comunidades indígenas venderam a uma empresa estrangeira créditos de carbono, que dão direito à emissão de gases de efeito estufa pelos compradores. Os contratos são considerados ilegais e chegam a impor restrições ao uso da terra pelas próprias comunidades. Confira entrevista com o presidente da Funai, Márcio Meira * Audio-reportagem com apresentação Andhrea Tavares e Beth Begonha, da Radioagência Nacional/ABr. EcoDebate, 14/03/2012 [ O

A terra é dos índios. E o carbono, é de quem?

  Por Natalia Viana, Ana Aranha, Jessica Mota e Carlos Arthur França, em A PÚBLICA Por US$ 120 milhões, empresa irlandesa compra direitos sobre créditos de carbono dos índios Munduruku, no Pará; contrato investigado pelo Ministério Público valeria por 30 anos. A Funai foi deixada de fora O vídeo promocional da empresa Celestial Green Ventures – “verde celestial”, em português – traz imagens de uma reunião em uma localidade não identificada, na Amazônia. Em meio

Paralela à Rio+20, Cúpula dos Povos vai debater causas estruturais da crise ambiental

  Causas estruturais da crise ambiental, falsas soluções, a economia verde e as propostas vindas dos povos do mundo inteiro constituem os principais debates da Cúpula dos Povos, que ocorrerá no Rio de Janeiro, paralelamente à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Atividades autogestionadas, isto é, livres, marcarão os dias 15 e 16 de junho, precedendo a marcha que abrirá oficialmente, no dia 17, os trabalhos da Cúpula dos

Rio+20: Economia verde não é solução para crise ambiental, defende Abong

  O grupo articulador do Comitê Facilitador da Sociedade dos Povos para a Rio+20 criticou a decisão da Organização das Nações Unidas (ONU) de ter assumido a economia verde como a grande solução para a crise ambiental atual. O Comitê Facilitador está preparando a programação de atividades da Cúpula dos Povos, evento que ocorrerá paralelamente à Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, em junho, no Rio de Janeiro. “A gente espera que, até

Brasileiros desconhecem a Rio +20. Por quê? artigo de Paulo Itacarambi

  [Correio Braziliense] Pesquisa realizada neste início de ano por uma parceria entre a empresa Market Analysis e a ONG Vitae Civilis mostrou que apenas 11,5% dos brasileiros têm alguma informação a respeito da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que vai ocorrer no Rio entre os dias 14 e 22 de junho deste ano. A pesquisa foi realizada por telefone, em nove capitais, com 806 pessoas de 18

Conjuntura: Governo Dilma Rousseff e a agenda socioambiental e indígena: Descaso, omissão e negligência

  A análise da conjuntura da semana é uma (re)leitura das "Notícias do Dia’ publicadas diariamente no sítio do IHU. A análise é elaborada, em fina sintonia com o Instituto Humanitas Unisinos – IHU, pelos colegas do Centro de Pesquisa e Apoio aos Trabalhadores – CEPAT, com sede em Curitiba-PR, parceiro estratégico do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, e por Cesar Sanson, professor na Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Fukushima: um alerta ignorado pelo Brasil. Entrevista com Heitor Scalambrini Costa

  “A cada acidente há uma revisão das normas e padrões de segurança para as usinas nucleares, o que acaba acarretando indubitavelmente mais custos, que refletem no preço final da energia para o consumidor, tornando assim, do ponto de vista econômico, a eletricidade nuclear inviável comparada com outras tecnologias”, constata professor da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Confira a entrevista. Um ano após a tragédia que fez o mundo reavaliar o uso

Agricultura mundial vai consumir 19% mais água até 2050

  A agricultura mundial necessitará de 19% a mais de água até 2050, se quiser atender à demanda crescente por alimentos de um mundo em rápida expansão. O problema, segundo o novo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), é que a maior parte dela será requisitada em bolsões agrícolas que já sofrem com uma oferta apertada ou com a escassez desse bem natural. Por Bettina Barros, Valor Econômico. Divulgado ontem, o

Consumo diário de carne vermelha aumenta risco de morte, diz estudo da Universidade de Harvard

  Comer uma porção diária de carne vermelha processada pode aumentar o risco de morte prematura em até 20%, segundo estudo [Red Meat Consumption and Mortality] realizado com mais de 120 mil nos Estados Unidos e divulgado nesta segunda-feira. Matéria da AFP. O estudo, feito por especialistas da Universidade de Harvard (Massachussetts, nordeste), dá evidências de que comer carne vermelha aumenta o risco de doenças cardíacas e câncer. No entanto, também sugere

Top