O ‘fazer o bem sem olhar a quem’ e os limites da abordagem antropocêntrica na história das relações homem-animal, por Cristiane Amaro da Silveira e Ana Elizabeth Iannini Custódio

  [ComCiência] Não é preciso ter idade muito avançada para nos lembrarmos do tempo em que se entoavam cantigas infantis do gênero “atirei o pau no gato” ou se contavam historietas onde animais, geralmente lobos, eram representados como astutos inimigos dos homens – sendo que um dos finais “felizes” possíveis (e muito esperado!) era o lobo caindo em um poço, por conta das pesadas pedras que o espirituoso herói havia costurado

‘O Brasil precisa se constranger por aprovar um Código Florestal como está se dando’, entrevista com Pedro Gonijo

  "A maior parte das questões que são preocupantes no Código vigente poderiam ser resolvidas por legislações infraconstitucionais, por portarias, por decisões do Conama [Conselho Nacional do Meio Ambiente], enfim, nós não precisaríamos de um novo Código Florestal. Para nós, o próprio fato de entrar em pauta a reforma do Código já é uma derrota colocada, não pelo agronegócio, mas pelo agrobanditismo", afirma Pedro Gonijo, professor de filosofia da Universidade de

Nas diferenças e igualdades: linhas tênues separam humanos e animais

  “Não há nenhuma diferença fundamental entre o homem e os animais mais superiores do reino no que diz respeito a suas faculdades mentais”, afirmou o naturalista inglês Charles Darwin (1809 – 1882) em sua obra Origem do homem e a seleção sexual (1871). Responsável pela teoria da evolução que balançou os alicerces humanos revelando sua descendência animal, Darwin também enfatizou que “há uma imensa diferença entre a mente do homem

União Europeia (UE) revisa mercado de CO2 para que não seja tão barato poluir

  O mercado de CO2, principal ferramenta da União Europeia (UE) para combater a mudança climática, vive em convulsão permanente. Bruxelas distribuiu direitos gratuitos entre as empresas, mas não contou com a crise econômica e a queda da produção industrial. Com isso, há tantos direitos distribuídos que o preço da tonelada de CO2 despencou: chegou a 6 euros, quando toda a política verde dos 27 da UE estava projetada com um

Japão revela plano para desativar Fukushima em quatro décadas

  O Governo japonês e a operadora da usina de Fukushima, a Tepco, revelaram nesta quarta-feira o plano para desativar a central em um prazo entre 30 e 40 anos, após decretar há cinco dias a "parada fria" de seus reatores. Matéria da EFE. Segundo a agenda, o primeiro passo será eliminar o combustível nuclear usado das piscinas dos reatores de 1 a 4 nos dois próximos anos, e retirar o combustível

Top