Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.496, de 22/12/2011

  Brasil: a segurança alimentar em risco - Sobre a uranificação das áreas agrícolas, artigo de Norbert Suchanek Vazamento de óleo e as praias do litoral pernambucano? artigo de Heitor Scalambrini Costa Floresta é vida! artigo de Cândido Grzybowski Mapeamento do IBGE confirma a importância das Unidades de Conservação para a preservação das florestas Dona de navio que derramou óleo na Baía de Ilha Grande é multada em R$ 16,6 milhões

Brasil: a segurança alimentar em risco – Sobre a uranificação das áreas agrícolas, artigo de Norbert Suchanek

No Brasil, temos vários vilões contra o meio ambiente e seres humanos: A indústria da soja e a indústria nuclear com sua exploração de urânio estão entre os mais poderosos vilões. Este artigo mostra a conexão dessas duas indústrias e como eles ameaçam a segurança alimentar das futuras gerações do Brasil. O artigo começa com o plano dos Governos Lula da Silva e Dilma Rousseff de sextuplicar a produção de urânio e

Vazamento de óleo e as praias do litoral pernambucano? artigo de Heitor Scalambrini Costa

  [EcoDebate] O título deste artigo pode parecer mau agouro, anúncio precipitado, previsão pessimista, seja lá como se pode interpretar. Todavia temos assistido, com certa recorrência, anúncios de vazamento de óleo no mar, e os impactos desses acidentes na costa do país, que nos levam a imaginar a possibilidade de semelhantes desastres ocorrerem no litoral pernambucano. Isto porque o complexo industrial portuário de Suape abriga e planeja para futuro próximo, um conjunto

Floresta é vida! artigo de Cândido Grzybowski

  No debate sobre o novo Código Florestal, os dilemas sobre que Brasil precisa e o que estamos dispostos a construir como nação numa perspectiva de sustentabilidade e justiça social com democracia ficam num segundo plano. O debate está restrito aos limites dados pelo agronegócio, entre o que seus promotores acham aceitável para continuar se expandindo e o que a sociedade é capaz de suportar, sem nada mudar no rumo já

Mapeamento do IBGE confirma a importância das Unidades de Conservação para a preservação das florestas

  O IBGE lançou o Mapa de Cobertura e Uso da Terra do Estado do Pará, na escala 1:1.800.000. Apoiado no sistema de classificação nacional adotado pelo IBGE, o mapeamento foi elaborado a partir da interpretação de imagens de satélite conjugada com análises de informações de trabalhos de campo, de tipologias agrícolas e de documentação estatística, além de textos técnicos de referência. As informações desse mapa são fundamentais para o planejamento

Dona de navio que derramou óleo na Baía de Ilha Grande é multada em R$ 16,6 milhões

  O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) multou ontem (21) em R$ 16,6 milhões a empresa Modec Serviços de Petróleo do Brasil, pelo derramamento de óleo na Área de Proteção Ambiental (APA) Tamoios, que reúne todas as ilhas da Baía de Ilha Grande, no litoral sul do estado do Rio. O pagamento deverá ser feito em, no máximo, 30 dias. Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, o Inea se cercou

Censo 2010: 11,4 milhões de brasileiros (6,0%) vivem em assentamentos irregulares

  Em 2010, o país possuía 6.329 aglomerados subnormais (assentamentos irregulares conhecidos como favelas, invasões, grotas, baixadas, comunidades, vilas, ressacas, mocambos, palafitas, entre outros)em 323 dos 5.565 municípios brasileiros. Eles concentravam 6,0% da população brasileira (11.425.644 pessoas), distribuídos em 3.224.529 domicílios particulares ocupados (5,6% do total). Vinte regiões metropolitanas concentravam 88,6% desses domicílios, e quase metade (49,8%) dos domicílios de aglomerados estavam na Região Sudeste. Os aglomerados subnormais frequentemente ocupam áreas menos

Analfabetismo entre jovens em favelas é o dobro que em áreas urbanas regulares

  A taxa de analfabetismo entre as pessoas com 15 anos ou mais que vivem em favelas é 8,4%, o dobro da relativa às áreas urbanas regulares de municípios que concentram essas comunidades. O dado faz parte do levantamento Aglomerados Subnormais – Primeiros Resultados, baseado em informações do Censo Demográfico 2010, divulgado ontem (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo revela que a situação mais grave é encontrada em

Brasileiro acredita que pobreza se combate com empregos, diz Ipea

  Para quase um terço da população (29,4%), o desemprego é a principal causa da pobreza no Brasil, seguido pela dificuldade de acesso e má qualidade da educação (18,4%) e pela corrupção (16,8%). E apenas 6% acreditam que programas de distribuição de renda, como o Bolsa Família, ajudam a resolver o problema. É o que aponta estudo divulgado ontem (21) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre a percepção da

União terá que limitar a pesca da tainha para embarcações industriais

  Decisão da Justiça Federal acolhe pedido do Ministério Público Federal no Rio Grande do Sul Acolhendo ação civil pública do Ministério Público Federal, a Justiça Federal de Rio Grande determinou que a União, ao renovar as autorizações/permissões para a pesca da tainha pela frota de traineiras, na modalidade cerco, para as próximas três safras, a partir de 2012, observe a limitação constante da Instrução Normativa IBAMA nº 171/2008, que estabelece o

Rondônia é o primeiro estado autorizado a criar pirarucu em cativeiro

  Pirarucu (Arapaima gigas). Foto: Wikipédia O pirarucu, um dos maiores peixes de rio do país, já pode ser criado em cativeiro no estado de Rondônia. Um acordo nesse sentido foi assinado ontem (21) entre o ministro da Pesca e Aquicultura, Luiz Sérgio, e o presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis ( Ibama), Curt Trennepohl. O acordo permite a criação e a venda de pirarucu de acordo

Incidência de raios cresce 11% em média nas cidades com mais de 200 mil habitantes

  A incidência de raios cresceu em média 11% nas cidades com população acima de 200 mil habitantes, de acordo com os dados mais recentes do Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), núcleo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). “Tanto essas cidades têm mais tempestades, quanto elas estão também cada vez mais intensas, e a urbanização pode ser apontada como uma das principais responsáveis”, diz Osmar Pinto Junior, coordenador do Elat. Com

Top