Portal EcoDebate: Índice da edição nº 1.217, de 11/11/2010

Panorama Ambiental, artigo de Roberto Naime Ambiente por Inteiro: Deslocalização agrícola - Terra de Ninguém, artigo de Efraim Rodrigues O Semiárido e as eleições, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó) Grande 'novidade' tecnológica, artigo de Maurício Gomide Martins Violência doméstica: As mulheres não gostam de homens 'bonzinhos'? artigo de Lélia Barbosa de Sousa Sá MPF/PA recomenda ao Ibama que não fragmente licenças para Belo Monte Filhos de trabalhadores nas Usinas de Santo Antônio e de Jirau continuam

Panorama Ambiental, artigo de Roberto Naime

[EcoDebate] Uma proposta de discussão muito ampla como a sugerida pelo título, em geral assusta um pouco. Mas no caso, não assusta nem um pouco. Não é preciso falar da poluição nos solos, na água, no ar, no desmatamento, na falta de tratamento de esgotos e efluentes, na ausência de gestão de resíduos, nas carências dos monitoramentos atmosféricos. Ou no efeito estufa, no protocolo de Kyoto, nas conferências das partes

Ambiente por Inteiro: Deslocalização agrícola – Terra de Ninguém, artigo de Efraim Rodrigues

[EcoDebate] Na semana passada mostrei como convenções internacionais como a COP10 não gerarão resultados concretos enquanto não existir um governo mundial. Se você não seguir a lei, a policia pega voce. Você seguiria a lei se a polícia precisasse convencer todos seus vizinhos da sua transgressão ? A globalização avançou muito na comunicação e transportes, menos na segurança e ainda menos na segurança ambiental. Em tese, para vender produtos para um

O Semiárido e as eleições, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] A convivência com o semiárido não esteve pautada nessas eleições. Incrível, exatamente aquelas pequenas medidas que agora evitam as migrações em massa, as frentes de emergência, tanta fome e sede, não estiveram na ordem do dia. A região só esteve no debate quando Serra e Dilma disputaram ferozmente a paternidade da Transposição e Transnordestina. Serra chegou falar na criação de uma “Secretaria para o Semiárido”. Vai saber o que havia

Grande ‘novidade’ tecnológica, artigo de Maurício Gomide Martins

[EcoDebate] Como é do conhecimento geral, a tecnologia vem avançando tão rápido e com tal apuro que nosso dia-a-dia é feito de surpresas, sofisticações e acréscimo de confortos. Atualmente, graças ao domínio técnico das forças e fenômenos naturais guardados no âmbito do microcosmo, temos à nossa disposição poderes impensados há menos de 50 anos. Pelas disponibilidades tecnológicas, contamos com recursos e benesses que revolucionaram as próprias regras do meio ambiente para

Violência doméstica: As mulheres não gostam de homens ‘bonzinhos’? artigo de Lélia Barbosa de Sousa Sá

[EcoDebate] Em conversa com o meu filho, ele disse que as mulheres não gostam de homens “bonzinhos” e que somente as mães é que gostavam desse tipo de homem. Eu discordei e argumentei que não poderíamos generalizar, pois existem mulheres e “mulheres”. Retrucando, ele falou - Pode ser que na sua época as mulheres pensavam assim, porém as de agora gostam de homens que gritam, que batem e que sejam

MPF/PA recomenda ao Ibama que não fragmente licenças para Belo Monte

Procuradores enviaram documento avisando que não existe licença parcial nesse momento. Condicionantes da licença prévia têm que ser cumpridas antes de nova autorização O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) enviou, em 9 de novembro, ao presidente do Ibama, Abelardo Bayma de Azevedo, uma recomendação para que não emita nova licença ambiental para a usina hidrelétrica de Belo Monte enquanto não estiverem resolvidas as questões pendentes da licença prévia. Na licença prévia,

Filhos de trabalhadores nas Usinas de Santo Antônio e de Jirau continuam sem creche e MPT questiona

Filhos e dependentes de trabalhadores e trabalhadoras das Usinas de Santo Antônio e de Jirau no rio Madeira, com direito a assistência gratuita desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade, continuam sem serviço de creche enquanto seus pais e mães estão nos canteiros de obra. Atualmente, cerca de duas mil crianças na faixa de idade com direito ao benefício constitucional não recebem o atendimento. Nesta segunda-feira (8/11), o

Brasil precisa de US$ 20 bilhões para ser economia de baixa emissão de carbono, diz Banco Mundial

O Brasil precisa investir cerca de US$ 20 bilhões por ano até 2030 para se transformar em uma economia de baixo carbono, ou seja, com baixas emissões de gases de efeito estufa. É o que diz pesquisa elaborada pelo Banco Mundial chamada O Estudo de Baixo Carbono para o Brasil divulgado ontem (10), na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O setor energético é o que necessita dos

Denúncia: Devastação ambiental em Mucuri, BA

Diz uma velha máxima que: “O que os olhos não vêem o coração não sente”. Por essa razão que uma das mais belas lagoas do município litorâneo de Mucuri – BA tende a sumir totalmente dentro de no máximo um ano em razão da destruição da sua bacia. As matas em sua volta estão sendo destruídas para dar lugar a uma extensa plantação de eucalipto. Tudo financiado pela empresa Fibria

Depois de dois anos, aerossóis de queimadas aumentam na Amazônia

A emissão de aerossóis, fuligem de queimadas em suspensão na atmosfera, aumentou significativamente na Amazônia em relação aos dois últimos anos (2008 e 2009). A constatação é do grupo de pesquisa de Qualidade do Ar, do CPTEC/INPE. Os aerossóis são emitidos pelas queimadas, produtos da queima da biomassa, com maior incidência nos meses de agosto e setembro. O pesquisador do CPTEC, Saulo Freitas, explica que as emissões de queimadas das regiões

Pesquisa analisa organismos com potencial biotecnológico para uso em processos de biorremediação

Imagem da Baía da Guanabara feita por satélite (Foto: Nasa) O trabalho da bióloga Mônica de Oliveira Viana, aluna de mestrado do Programa de Saúde Pública da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), além de avaliar o impacto da poluição na qualidade sanitária de água e areia nos ecossistemas da Baía de Guanabara, busca microorganismos com potencial para uso em processos de biorremediação - utilização de seres vivos ou de seus

O vegetarianismo e o consumo ético. Entrevista com a nutricionista Claudia Lulkin

Para a nutricionista Claudia Lulkin, o vegetarianismo, hoje, tem cada vez mais a compreensão de seu papel político e econômico no debate do que seja ético. Por: Graziela Wolfart Na visão da nutricionista vegana Claudia Lulkin, “se mudamos o foco central da alimentação para o mundo vegetal com sua infinita diversidade (plantas que nem conhecemos no Rio Grande do Sul, plantas que estão sendo redescobertas) e se utilizarmos as terras agricultáveis

Cuidar do corpo e do planeta é cuidar da vida. Entrevista com Adriano Caceres

Na visão de Adriano Caceres, o vegetarianismo desponta como estilo de vida capaz de recuperar a saúde debilitada das pessoas e promover a manutenção de um estado de saúde pleno dos indivíduos. Por: Graziela Wolfart “Quanto mais a criação de animais, em particular a pecuária, for incentivada, maior será a demanda de grãos e, portanto, mais florestas nativas e cerrados terão de ser destruídos para satisfazer essa demanda. Ocorre que essa

Terra, o planeta consumido

Provocamos várias calamidades ao longo da nossa existência, mas sempre houve fenômenos limitados. Os mamutes foram extintos há 11 mil anos também por causa do homem. E esse é só um dos danos ao ecossistema. Com o caos climático produzido pelo uso dos combustíveis fósseis, tudo muda: a ameaça se torna global. A reportagem é de Antonio Cianciullo, publicada no jornal La Repubblica, 09-11-2010. A tradução é de Moisés Sbardelotto. [Leia

População, o ‘P’ problema da questão climática

A urbanização é apontada como fator de aumento de emissão de gases que provocam o efeito estufa A última edição da novíssima revista científica Nature Climate Change traz um estudo que deve pôr lenha na fogueira na discussão sobre emissões provocadas pela atividade humana [Mitigation: More inhabitants, more emissions, Nature Climate Change, Published online: 26 October 2010 | doi:10.1038/nclimate1001] toca em um assunto delicado e, talvez por isso, amplamente ignorado nas

Egito cultiva florestas no deserto com aproveitamento de água residual

Água usada diariamente por 80 milhões de egípcios transforma o deserto em terra fértil O Governo egípcio desafia a natureza ao regar áreas desérticas com água reaproveitada para convertê-las em florestas, cuja superfície já equivale ao território do Panamá. A diferença verificada após a intervenção humana é dramática: onde antes havia uma paisagem desértica e inóspita, agora há áreas verdes cobertas de árvores de alto valor econômico como álamos, papiros e eucaliptos. Tudo

Top