Índice da edição de 28/01/2010

Pesquisadores identificam impactos ambientais significativos das algas para biocombustíveis, por Henrique Cortez Obesidade infantil pode aumentar risco de doenças cardiovasculares na fase adulta, por Henrique Cortez SC: Lixotur em Passo de Torres, artigo de Ana Echevenguá Ir a Feira: a Sustentabilidade nas Pequenas Coisas, artigo de Valdir Lamim-Guedes e Jéssica Brito Caetité, BA: O medo faz parte de nossas vidas, artigo de Fabiano Cotrim Rio São Francisco terá duas usinas nucleares, artigo de Aroldo Cangussu BA:

Pesquisadores identificam impactos ambientais significativos das algas para biocombustíveis, por Henrique Cortez

Unidade de produção de algas na Flórida, EUA. Foto: PetroAlgae [EcoDebate] Com muitas empresas investindo pesadamente em biocombustíveis à base de algas, pesquisadores da Universidade da Virgínia, do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, descobriram que há importantes obstáculos a superar antes do massificar a produção deste tipo de combustível. Eles propõem a utilização de águas residuais, como uma solução para alguns desses desafios. A pesquisa [Environmental Life Cycle Comparison of Algae

Obesidade infantil pode aumentar risco de doenças cardiovasculares na fase adulta, por Henrique Cortez

[EcoDebate] Uma criança obesa , já aos 7 anos de idade, pode ter um significativo aumento do risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral na fase adulta, mesmo na ausência de outros fatores de risco cardiovasculares, como hipertensão arterial. É o conclui um novo estudo [Obesity Without Established Co-morbidities of the Metabolic Syndrome is Associated With a Pro-inflammatory and Pro-thrombotic State Even Before the Onset of Puberty in

SC: Lixotur em Passo de Torres, artigo de Ana Echevenguá

[EcoDebate] Extraí do website da Prefeitura: “Passo de Torres com suas 24 praias, a maioria delas praticamente intocada. (...) A 15km do centro, em direção ao norte, fica o Parque Ecológico Espigão do Pirutu, com belas colinas e morros. Seus rios, lagoas e exuberante vegetação nativa são um convite ao passeio”(1). Parece uma maravilha, não? Quem não conhece a situação atual da cidade, deve ficar com água na boca. Principalmente os

Ir a Feira: a Sustentabilidade nas Pequenas Coisas, artigo de Valdir Lamim-Guedes e Jéssica Brito

[EcoDebate] Muitas cidades, até mesmo algumas capitais, ainda podem contar com feiras para a comercialização da produção de pequenos agricultores. Muitos destes têm a produção baseada na mão-de-obra familiar, vendendo o excedente produzido. Esta forma de comercialização de produtos agropecuários é muito importante para a economia local por algumas razões, por exemplo, menor tributação sobre os produtos, ausência de atravessadores, proximidade entre a produção e o consumidor final, valor das

Caetité, BA: O medo faz parte de nossas vidas, artigo de Fabiano Cotrim

[EcoDebate] Aviso aos amigos da INB em geral, e à própria INB: Nas linhas abaixo transcreverei, na íntegra, matéria veiculada no sítio do Jornal A Tarde, edição de quinta-feira, 21/01/2010, e acrescentarei, após cada parágrafo transcrito, algumas opiniões pessoais. As opiniões, aviso aos senhores todos, encontram guarida nos direitos de livre expressão e cidadania ainda insculpidos na nossa Constituição e serão grafadas em itálico, já a notícia publicada pelo jornal

Rio São Francisco terá duas usinas nucleares, artigo de Aroldo Cangussu

[EcoDebate] O jornal Folha de São Paulo do dia 15 de janeiro de 2010, no seu caderno Dinheiro, informa que o programa nuclear brasileiro prevê a construção de quatro usinas até 2030, sendo duas no Nordeste e duas no Sudeste. A definição da localização será, como sempre, política e deve sair até março de 2010. Os estudos técnicos que serão levados para a decisão apontam que as duas usinas nordestinas ficarão

BA: Agrocombustíveis alimentam grilagem de terra em Barra

Mais de 400 famílias de pequenos agricultores estão ameaçadas de expulsão das suas terras para dar lugar à monocultura da cana. A área das comunidades dos Baixões, município de Barra - BA, está sendo dividida pela empresa mineira Caossete, intermediária dos herdeiros da fazenda Boqueirão, na venda da terra a um grupo estrangeiro. A empresa alega reconhecer as posses das famílias e vem concedendo escrituras de áreas muito inferiores àquelas

Depois de 10 anos pescadores da Baía de Guanabara esperam que STJ decida com rapidez ação contra a Petrobras

A Federação dos Pescadores do Rio de Janeiro (Feperj) espera que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) conclua na próxima semana, com o fim do recesso, o processo de uma luta judicial de dez anos sobre um vazamento de óleo da Petrobras na Baía de Guanabara. A ação já chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde foi questionada a legitimidade da entidade para representar os pescadores fluminenses. São dois os

FSM 2010: Indígena peruano pede saída da Petrobras de reserva na Amazônia e empresa nega exploração de petróleo em reserva ambiental

O líder indígena Henderson Hualinga, da Associação Interétnica de Desenvolvimento da Selva Peruana, pediu ontem (27), durante o Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, a saída da Petrobras de uma área de exploração de petróleo em uma região de floresta situada no noroeste do Peru. “Na região do Lote 117 [na fronteira Peru-Equador-Colômbia], os povos quechua estão dizendo bem claro que não querem a Petrobras. Ali é uma reserva natural e

Discussão sobre descarte correto de lâmpadas de mercúrio arrasta-se há quase dez anos

MERCÚRIO - Metal presente nas lâmpadas fluorescentes polui meio-ambiente. Foto: Valéria Gonçalvez/AE A definição sobre o descarte correto de lâmpadas de mercúrio está travada há quase dez anos, e a lei que regulamenta o tema não deve sair tão cedo. Desde 2001, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) realiza reuniões, e a expectativa é concluir os trabalhos nos próximos seis meses. O processo, entretanto, é longo e o texto ainda vai

Pesquisadores lançam, em distribuição gratuita, o livro ‘Sociologia dos Desastres: construção, interfaces e perspectivas no Brasil’

Segundo eles, tragédias se repetem porque Brasil não tem cultura de prevenção e proteção civil contra desastres Rotina desastrosa – A cada ano, em períodos de chuvas mais intensas, repetem-se pelo Brasil as cenas de tragédias provocadas por enchentes e deslizamentos de terra. Esses desastres periódicos são, muitas vezes, indevidamente atribuídos apenas à intensidade dos fenômenos naturais. No entanto, na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), um grupo de especialistas no

Top