Jogo combinado na COP 15: Vazamento de ‘minuta’ de acordo tumultua cúpula da ONU sobre o clima

A cúpula de Copenhague sobre a mudança climática transcorreu ontem em meio a vazamentos de minutas de acordos redigidos pelos países industriais, de um lado, e pelas nações emergentes, do outro. O resultado foi a indignação das ONGs e a evidente diferença de posturas entre os países ricos e pobres. No segundo dia da conferência, que terminará em 18 de dezembro, a anfitriã Dinamarca já tinha pronta uma minuta de acordo para

COP 15: Países ricos defendem que só nações mais pobres recebam recursos para combater o aquecimento do planeta

Fundo do clima pode excluir Brasil - Com a União Europeia à frente, governos de países industrializados se recusam a repassar recursos dos fundos de Adaptação e Mitigação aos grandes países emergentes, como o Brasil. A discussão ocorreu ontem, nos bastidores do primeiro dia da 15ª Conferência do Clima das Nações Unidas (COP-15), em Copenhague. O mecanismo, estimado pela União Europeia em 100 bilhões por ano no período 2013 a 2020,

COP 15: Cúpula do Clima de Copenhague pode ser a última oportunidade para salvar o clima

O desafio da Cúpula do Clima de Copenhague é descomunal: conseguir uma nova forma de usar a energia para estabilizar o clima do planeta, substituir o petróleo por energias renováveis, salvar as florestas tropicais... Mais de dois séculos depois, o mundo busca uma nova revolução industrial. Por isso, 100 chefes de Estado e de governo – o presidente dos EUA, o primeiro-ministro chinês, o da Índia, os 27 da União

COP 15: Por que um fracasso em Copenhague seria um sucesso, artigo de Bjørn Lomborg

Poluição do ar em cidade chinesa. Foto da AFP * Os políticos desperdiçaram quase 20 anos sem fazer qualquer progresso significativo na nossa tentativa bem intencionada, mas irrealista, de reduzir as emissões de carbono. Não temos mais tempo a perder com uma resposta criticamente inadequada ao aquecimento global * [Der Spiegel] Os piores temores de vários delegados presentes nas negociações climáticas de Copenhague já se materializaram: ficou evidente que a tentativa oficial

Redução das emissões de gases causadores do efeito estufa. Uma verdade financeiramente acessível, artigo de Paul Krugman

Foto do Der Spiegel [The New York Times] Talvez eu esteja sendo ingênuo, mas estou me sentindo otimista quanto às negociações climáticas que terão início em Copenhague na segunda-feira. Agora o presidente Barack Obama pretende discursar no último dia da conferência, o que sugere que a Casa Branca espera um progresso real. É também encorajante ver países em desenvolvimento - incluindo a China, o maior emissor de dióxido de carbono do

Estudo estima que até 2100, Ilhas Maldivas, Veneza, Londres, Hong Kong e Bangladesh ficarão submersos

Até 2100, adeus, Ilhas Maldivas. Mas também adeus a um belo pedaço de Manhattan, uma grande fatia de Londres, de Hong Kong, mais meia Bangladesh. E, naturalmente, Veneza. Tudo destinado a acabar embaixo d'água, com boa parte das costas litorâneas de todo o mundo, por causa de uma elevação geral do nível dos mares de quase um metro e meio. É uma previsão muito mais pessimista do que a oficial,

Top