Índice das edições de 4 e 5/09/2009

Trabalho Escravo: uma vergonha a ser definitivamente abolida, por Henrique Cortez Usina Mauá e os riscos para o futuro das águas do PR Nota da Comissão Pastoral da Terra-CPT: Conflitos no campo diminuem, mas violência cresce! Grupo Móvel flagra trabalho degradante em Eldorado dos Carajás MPF/PA negocia acordo com pecuaristas a legalização da cadeia produtiva da pecuária no estado Consórcio UHE Aimorés terá de pagar salário mínimo a pescadores de Resplendor Bioma amazônico é o maior

Trabalho Escravo: uma vergonha a ser definitivamente abolida, por Henrique Cortez

[EcoDebate] Mais de um século após a Lei Áurea , continuamos um país escravocrata. Desde 2003, mais de 26 mil pessoas foram libertadas de trabalhos forçados em todo o país. O governo federal continua apertando o cerco aos escravocratas, tendo, nos primeiros sete meses de 2009, libertado 1.492 trabalhadores rurais escravizados ou tratados de forma degradante. O estado do Pernambuco, em 2009, ocupou o primeiro lugar no ranking do trabalho escravo,

Usina Mauá e os riscos para o futuro das águas do PR

[EcoDebate] Com o desvio temporário do Rio Tibagi, foi concluída a primeira etapa da instalação da Usina Hidrelétrica de Mauá, no Paraná. Ocorrido na última terça-feira em clima de comemoração, o evento contou com todo o aparato de propaganda política próprio de uma inauguração pública. A usina vai alagar uma área de alta biodiversidade entre as cidades de Telêmaco Borba e Ortigueira, numa região que conserva hoje apenas 3,7% de sua

Nota da Comissão Pastoral da Terra-CPT: Conflitos no campo diminuem, mas violência cresce!

De janeiro a junho de 2009, o número de conflitos no campo apresentou queda de 46%, em relação a igual período de 2008. Em contrapartida neste mesmo período a violência que os acompanhou foi bem maior. Os dados parciais dos conflitos no campo relativos ao primeiro semestre de 2009, registrados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), e agora divulgados, apresentam o seguinte quadro: De janeiro a junho de 2009, o total dos

Grupo Móvel flagra trabalho degradante em Eldorado dos Carajás

Trabalhadores de carvoaria não tinham registro profissional, se alojava sem água potável e instalações sanitárias. Resgate está marcado para esta sexta-feira (4), às 9h Em ação de fiscalização do Grupo Móvel de combate ao trabalho escravo do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) iniciada na terça-feira (1º), Auditores Fiscais do Trabalho encontraram 11 trabalhadores em situação análoga à de escravo no município paraense de Eldorado dos Carajás. Nesta sexta-feira (4) o

MPF/PA negocia acordo com pecuaristas a legalização da cadeia produtiva da pecuária no estado

Pecuária na Amazônia, Terra do Meio, Pará. Foto: Valter Campanato/ABr A partir de janeiro de 2010, os frigoríficos só comprarão animais de propriedades que tenham aderido ao termo de ajuste de conduta e entrado no cadastro ambiental rural do estado O Ministério Público Federal no Pará (MPF/PA) lidera mais uma rodada de negociações para a legalização da cadeia produtiva da pecuária no estado. Depois que foram assinados termos de ajuste de

Consórcio UHE Aimorés terá de pagar salário mínimo a pescadores de Resplendor

* A ação foi ajuizada para proteger os direitos da comunidade de pescadores afetados pela construção da Usina Hidrelétrica de Aimorés. Com a construção do empreendimento, eles ficaram impedidos de exercer a atividade que era seu único meio de sustento.Consórcio formado por Vale e Cemig também foi condenado por litigância de má-fé. * O Ministério Público Federal em Governador Valadares (MG) obteve decisão judicial que obriga o Consórcio UHE Aimorés, formado

Bioma amazônico é o maior do planeta e ocupa metade do Brasil

Reconhecida mundialmente, a Floresta Amazônica é a maior floresta tropical úmida do planeta, com cerca de 5,5 milhões de quilômetros quadrados (km²), seis vezes o tamanho de Mato Grosso. Mais de 3 milhões dessa área estão em território brasileiro e o restante está distribuído entre oito países. O bioma amazônico, além de ser o maior do planeta, ocupa metade do Brasil. Essa grandeza pode ser percebida na variedade de vida da

Operação Arco de Fogo já fechou mais de 30 serrarias ilegais no Maranhão

Madeira ilegal apreendida pelo Ibama, em foto de arquivo. Buriticupu (MA) - O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, acompanhou ontem (3) o andamento da Operação Arco de Fogo no município de Buriticupu, no Maranhão, onde verificou o fechamento de serrarias e fornos ilegais de carvão. Ele também conversou com agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Polícia Federal, da Força Nacional de Segurança

Brasil sempre considerou as gripes como simples resfriados, diz médico

O presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, Celso Ramos, disse ontem (3) que o país sempre considerou os diversos tipo de gripe como “um simples resfriado”. Ele lembrou, por exemplo, que governo e profissionais de saúde só passaram a se preocupar com a vacinação de adultos há cerca de dez anos. Ao participar de audiência pública na Câmara dos Deputados, Ramos revelou que em boa

O Secretário-Geral da ONU diz que o mundo está caminhando rapidamente para uma catástrofe climática

Ban Ki-moon Falta de acordo climático será pago por futuras gerações Vamos para um abismo, diz Secretário-geral da ONU sobre clima - Ban Ki-moon disse na 3ª Conferência Mundial sobre Clima, em Genebra, que a ausência de um acordo sobre aquecimento global terá consequências econômicas graves; ele apelou aos líderes mundiais para negociarem um novo pacto sobre redução de gases que provocam o efeito estufa. 18352

Retomada da esperança com os estudos antropológicos para identificação de terras indígenas no MS. Entrevista com Egon Heck

“Os estudos são fundamentais para que se possa solucionar, de uma vez por todas, a questão fundiária no MS. Portanto, como tal, eles são benéficos para todos os setores envolvidos, para todo o setor agrário do MS, sejam eles do agronegócio ou de qualquer outro interesse que seja estabelecido, pois a não definição das terras indígenas implica também a não definição de uma série de possibilidades de ações no campo”,

Top