Índice da edição de 15/07/2009

Hidrologia e manejo de pequenas bacias hidrográficas: conservação de nascentes, artigo de Osvaldo Ferreira Valente ‘Floresta plantada’: a enganação, artigo de Milton Pomar Indicadores biológicos de exposição ocupacional x ambiental, artigo de Rúbia Kuno, Maria Helena Roquetti e Gisela A. Umbuzeiro Agentes Ambientais Federais de Minas Gerais aplicam R$ 5,2 milhões em multas no Nortão do Mato Grosso Ibama e ICMBio apreendem 110 mil peças de madeira serrada na Ilha do Marajó Crise detém, por

Hidrologia e manejo de pequenas bacias hidrográficas: conservação de nascentes, artigo de Osvaldo Ferreira Valente

A parte “A” da Figura mostra um mapa de pequena bacia que sustenta uma nascente. [EcoDebate] A conservação de nascentes é uma tecnologia fundamentada em comportamentos hidrológicos de pequenas bacias hidrográficas. Sobre tais fundamentos, que variam com a variação dos ecossistemas, é que são estabelecidos os sistemas de manejo. Toda a parte do ciclo hidrológico envolvida na conservação de nascentes ocorre, portanto, numa área da superfície que

‘Floresta plantada’: a enganação, artigo de Milton Pomar

[EcoDebate] Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura do governo Lula, e ex-presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), atualmente é presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp, coordenador do Centro do Agronegócio da FGV e continua professor do Departamento de Economia Rural da Unesp-Jaboticabal. Além disso, é agrônomo, há mais de 40 anos, e produtor rural. Portanto, uma figura com autoridade suficiente para se pronunciar a respeito de qualquer tema, em

Indicadores biológicos de exposição ocupacional x ambiental, artigo de Rúbia Kuno, Maria Helena Roquetti e Gisela A. Umbuzeiro

Rúbia Kuno, Mestre em Saúde Pública, Setor de Toxicologia Humana e Saúde Ambiental, da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Av. Professor Frederico Hermann Jr, 345 prédio 5. 05459 900 São Paulo – SP – Brasil. rubiak{at}cetesbnet.sp.gov.br. Maria Helena Roquetti, Bióloga, Setor de Toxicologia Humana e Saúde Ambiental da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). Gisela A. Umbuzeiro, Doutora em Ciências, Divisão de Toxicologia, Genotoxicidade e Microbiologia Ambiental da Companhia

Agentes Ambientais Federais de Minas Gerais aplicam R$ 5,2 milhões em multas no Nortão do Mato Grosso

Agentes ambientais federais de Minas Gerais aplicaram, durante a Operação Cambará, R$ 5.222.769,00 em multas a fazendeiros e madeireiros no Norte do Mato Grosso por desmatamento ilegal da Amazônia e depósito de madeira sem origem comprovada. A ação foi desenvolvida durante o mês de junho por agentes dos Escritórios Regionais de Uberlândia, Juiz de Fora, Governador Valadares e Lavras, além da capital Belo Horizonte. Eles fiscalizaram, por terra e por

Ibama e ICMBio apreendem 110 mil peças de madeira serrada na Ilha do Marajó

Fiscais do Ibama e do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) apreenderam nos primeiros dias de julho, mais de 110 mil peças de madeira serrada para confecção de cabos de vassouras, na Ilha do Marajó. Essas unidades correspondem a cerca de 85 metros cúbicos de madeira, do total de 624 metros cúbicos (390 em tora e 234 serrada) apreendidos nos municípios de Breves, Melgaço, Porto de Moz e na Reserva

Crise detém, por hora, avanço de fragmentação em florestas tropicais

Pesquisadores do principal experimento dedicado ao estudo dos efeitos da fragmentação em florestas tropicais afirmam que crise econômica deteve, por hora, avanço da colonização que ameaçava o projeto. Mas, sem definição política, pressão populacional poderá reacender o problema (Nasa) Indefinição problemática – Em julho de 2007, pesquisadores que atuam no Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF) – o principal experimento no mundo dedicado ao estudo dos efeitos da fragmentação em

Campo magnético atinge casa junto à linha de transmissão aérea de energia elétrica

Cerca de 150 mil paulistanos estão expostos a campos que podem trazer riscos à saúde, em faixa de 50 a 130 metros das linhas Campos magnéticos atingem moradores próximos a linhas de transmissão - Mais de 150 mil moradores da cidade de São Paulo estão expostos a campos magnéticos gerados por linhas de transmissão aérea de energia elétrica em níveis que podem provocar riscos à saúde humana. A estimativa faz parte

Anvisa aprova uso de nova droga para tratamento do câncer de fígado

Forma de divulgação do novo medicamento recebe críticas por causar falsa expectativa . Nova droga abre perspectivas para o tratamento do câncer no país, diz hepatologista A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de aprovar o uso no Brasil do medicamento Nexavar@ (tosilato de sorafenibe - da Bayer Schering Pharma) no tratamento do câncer de fígado. O novo medicamento pode prolongar em até quatro meses a sobrevida de portadores desse tipo

Empresas alemãs iniciam projeto de energias renováveis no Marrocos

Obtenção de energia solar no deserto Na Alemanha, 12 grandes empresas deram início ao Desertec, um megaprojeto de energias renováveis a ser dirigido por europeus e situado no norte da África. Uma ideia que suscita também muitas críticas. Nesta segunda-feira (13/07) foi dado em Munique o sinal verde para o desenvolvimento do projeto internacional Desertec, pioneiro no âmbito das energias renováveis. A proposta é gerar energia solar e eólica nas regiões desérticas

Revolução verde: uma promessa fracassada. Entrevista especial com Carlos Vicente

“Temos uma história de 10 mil anos de agricultura, e os agrotóxicos foram introduzidos nos últimos 60 anos como parte de um modelo agrícola que busca mercantilizar nossa alimentação para engordar corporações”, diz o ecologista Carlos Vicente, da revista Biodiversidad, uma publicação da Grain. Segundo ele, é possível manter a agricultura sem a utilização de agrotóxicos, e o segredo é simples: “desmantelar o poder que as corporações adquiriram para

‘É ridículo, não salvará o planeta’, afirma economista sobre acordo do G8

"Para colocar todos de acordo, decidiram ir na velocidade do mais lento: assim é fácil alcançar um entendimento". Jeremy Rifkin responde ao telefone em Montecarlo, em uma pausa do encontro com o príncipe de Mônaco que quer iniciar um plano para frear o efeito estufa. E a opinião do presidente da Foundation on Economic Trends sobre o resultado do G8 é seca: "Um acordo ridículo". A reportagem é do jornal italiano

Top