Índice da edição de 02/03/2009

Estatísticas de acesso ao EcoDebate, em fevereiro de 2009 O Brasil é um pais ensolarado que despreza a energia solar Perdas na distribuição de energia elétrica no Brasil, artigo de Carol Salsa Comércio justo e soberania alimentar, artigo de Esther Vivas Esgoto no ventilador: ETE do Sambaqui, artigo de Ana Echevenguá SUS carece de profissionais capacitados para diagnosticar doenças raras, pacientes recorrem à Justiça para conseguir medicamentos Especial: Embrapa pesquisa a utilização da mandioca açucarada na

Estatísticas de acesso ao EcoDebate, em fevereiro de 2009

Desde maio/2008, quando adotamos a nossa atual plataforma de tecnologia web, o EcoDebate vem mantendo uma consistente curva de crescimento nos seus acessos. Em fevereiro de 2009, mesmo com a redução de acessos durante o carnaval, também ocorreu um crescimento relevante. Este crescimento deve ser creditado ao apoio e generosidade de nossos(as) leitores(as), colaboradores(as) e articulistas, com os quais compartilhamos o compromisso por um Brasil e um planeta que sejam socialmente

O Brasil é um pais ensolarado que despreza a energia solar

Central solar da Amareleja. Foto do Blog Energias Renováveis. [Por Henrique Cortez, do EcoDebate] O Brasil é um país especialmente dotado de luz solar disponível, mas não sabe aproveitar este recurso renovável e limpo. No máximo usamos a energia solar para aquecimento de água e, ainda assim, em pequena escala e sem qualquer programa oficial de apoio ou subsídio. Ao contrário de nós, outros países já estão investindo pesadamente em energia fotovoltaica

Comércio justo e soberania alimentar, artigo de Esther Vivas

Esther Vivas em Madri, abril de 2008. Foto da Wikipedia [EcoDebate] No dia de hoje, falar de comércio justo implica incorporar a perspectiva da soberania alimentar. Ambos os conceitos estão estreitamente unidos e o primeiro não é possível sem assumir as premissas do segundo. Quando nos referimos ao comércio justo, consideramos uma série de critérios de produção na origem: respeito ao meio ambiente, pagamento de salário digno, igualdade de gênero, uma

Esgoto no ventilador: ETE do Sambaqui, artigo de Ana Echevenguá

“Nihil Obstat”! – Dom James Pizarrus III [EcoDebate] Em meados de 2007, a famigerada CASAN - Companhia Catarinense de Águas e Saneamento - informou que estava de olho nos recursos para o saneamento básico previstos no PAC - Programa de Aceleração do Crescimento. Também de olho, na época, na renovação do contrato de concessão de serviços com Florianópolis, Walmor de Luca, eterno presidente da estatal, prometeu investimento de R$ 112 milhões

SUS carece de profissionais capacitados para diagnosticar doenças raras, pacientes recorrem à Justiça para conseguir medicamentos

Mesmo com condições de atender os pacientes portadores de doenças raras, como a osteogênese imperfeita, doença dos ossos de origem genética, a síndrome de Guillain-Barré, na qual os nervos periféricos se deterioram, ou o vitiligo, o Sistema Único de Saúde (SUS) ainda tem dificuldade em realizar o diagnóstico dessas doenças, em parte pela falta de profissionais que as conheçam, de acordo com o coordenador de Alta e Média Complexidade da

Especial: Embrapa pesquisa a utilização da mandioca açucarada na produção de etanol

Embrapa estuda usar mandioca açucarada na produção de biocombustíveis. A raiz predominante no Pará já tem glicose na composição, o que facilita a transfomação do produto em combustível. Foto de José Cruz/Arquivo ABr Estudo para o uso da mandioca açucarada na produção de biocombustíveis deve sair em julho Produção de etanol a partir da mandioca pode ser mais barata do que com a cana Norte e Nordeste serão os mais beneficiados

Duplo discurso: a linguagem das negociações climáticas

Desmatamento na Amazônia, em foto de arquivo Uma das conseqüências da mudança climática é o aumento e o agravamento dos fenômenos naturais tais como secas, enchentes e tormentas. Para piorar a situação, as conseqüências da atual mudança climática induzida pelo homem tornam-se ainda mais graves devido às várias atividades destrutivas, entre as quais salientaremos duas: o desmatamento e as plantações de monoculturas de árvores. 10492

Malásia: sedimentação de rio, devido ao desmatamento, origina graves enchentes em Sarawak

As fortes enxurradas que começaram a cair no dia 14 de janeiro e continuaram por quase um mês no estado de Sarawak no leste da Malásia assolaram especialmente as regiões norte e central. Milhares de pessoas evacuadas, comestíveis básicos aerotransportados até as moradias comunitárias, toneladas de material de ajuda para emergências, fechamento de escolas primárias, desmoronamentos, lavouras destruídas constituem o saldo de uma devastadora enchente sem precedentes que assolou principalmente a

MP 458 é prêmio ao crime de apropriação ilegal da Amazônia. Entrevista com o geógrafo Ariovaldo Umbelino, por Gabriel Brito e Valéria Nader

Em meio aos dias em que o ministro Gilmar Mendes, proprietário de grandes posses de terra em Diamantino-MT, criticou algumas invasões dos sem terras que reclamavam da lentidão da reforma agrária, o país se depara com nova MP que acelera o processo de regularização fundiária na Amazônia Legal. Em entrevista ao Correio da Cidadania, o geógrafo Ariovaldo Umbelino desvela os principais pontos da nova MP, de número 458, e mostra que

No ‘colonialismo da imundície’, o País recebe de pneus a resíduo eletrônico, artigo de Washington Novaes

No meio dos lixões, importando lixo [O Estado de S.Paulo] É um assombro ler no jornal (Estado, 13/2) que há uma crise na coleta seletiva de lixo em São Paulo e que a maioria das cem cooperativas de catadores reduziu em dois terços suas atividades, por causa da queda brutal nos preços dos produtos que vende. Nem é preciso ser muito informado para deduzir que se agravará o problema da coleta

Top