Uso de mercúrio nos garimpos de ouro é uma ameaça tóxica em escala global

Garimpo ilegal abandonado, em foto de arquivo MMA
Garimpo ilegal abandonado, em foto de arquivo MMA

[EcoDebate] Matéria [Third World gold mines spawn a global mercury threat] do jornal Los Angeles Times, de 25/1, baseada em reportagem da AP, afirma que 10 mil garimpos, em áreas remotas da Ásia, América Latina e África, utilizam mil toneladas de mercúrio por ano, contaminando a atmosfera, rios, oceanos e peixes.

Os garimpos em pequena escala são a segunda pior fonte de contaminação por mercúrio, atras, apenas, da queima de combustíveis fósseis.

O jornal afirma que, apesar de altamente tóxico, é fácil comprar mercúrio e o mercado internacional é, em grande parte, desregulado e sem fiscalização. De acordo com a matéria, existem 55 países com garimpos de pequena escala, empregando de 10 a 15 milhões de garimpeiros.

De acordo com o US Geological Survey, os EUA, em 2007, exportaram quase 498 tonenadas de mercúrio, contra 378 toneladas em 2006. A maior parte da exportação foi para o Canadá, Suriname, Hong Kong e Mexico. Mas não há como saber para onde e para quem este mercúrio foi reexportado ou contrabandeado.

O Zero Mercury Working Group, um conglomerado de Ogns em campanha mundial pela redução do uso do mercúrio, em seu sítio publicou um interessante resumo de informações (Mercury Fact sheet)sobre a toxidade e os usos (legais e ilegais) do mercúrio, cuja leitura recomendamos.

Para acessar a matéria “Third World gold mines spawn a global mercury threat“, no original em inglês, clique aqui.

Para acessar outras matérias do Ecodebate sobre contaminação por mercúrio clique aqui.

[Matéria de Henrique Cortez, do EcoDebate, 28/01/2009]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Comentários encerrados.

Top