Índice da edição de 03/09/2008

Debate aberto pelo STF cria cenário otimista para terras indígenas. Entrevista com Paulo Maldos, presidente do CIMI Bolivianos irregulares explorados em confecções não têm acesso à Justiça Josué de Castro e a crise dos alimentos, artigo de Walter Belik Desmatamento diminui no varejo, mas cresce no atacado Gusa Nordeste, Açailândia, MA: Há dois anos e meio, 21 famílias entraram na justiça com ações individuais contra a siderúrgica Seca na Bulgária afeta centenas de milhares de

Debate aberto pelo STF cria cenário otimista para terras indígenas. Entrevista com Paulo Maldos, presidente do CIMI

Joênia Wapichana, do Conselho Indígena de Roraima, Paulo Santilli, da Funai, e Jocenildo Saterê, participam de audiência pública em comissão do Senado, 14/05/2008, sobre demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. Foto: Valter Campanato/ABr Desde abril paralisada, voltou a ser analisada pelo STF a homologação definitiva da demarcação contínua da Terra Indígena de Raposa/Serra do Sol (RR). A disputa que envolve índios que sempre habitaram a região e arrozeiros invasores

Bolivianos irregulares explorados em confecções não têm acesso à Justiça

Migrantes irregulares do país vizinho trabalham em condições análogas às de escravo, mas não recorrem a seus direitos Trabalhadores bolivianos, explorados em confecções no Brasil, não recorrem à Justiça por estarem em situação irregular no País. A advogada Denise Pasello Valente Novais propõe em sua tese de doutorado que estes imigrantes ilegais tenham acesso à Justiça por terem seu trabalho explorado, mas reconhece que a solução pode soar utópica. “O trabalhador

Josué de Castro e a crise dos alimentos, artigo de Walter Belik

No momento em que comemoramos o centenário de Josué de Castro, legendário brasileiro autor de “Geografia da Fome” (1946) e primeiro presidente da FAO – Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (1952) –, precisamos nos perguntar se o mundo está melhor hoje que na sua época. Essa é uma boa oportunidade para analisar a nossa evolução dentro de uma perspectiva histórica. 4149

Gusa Nordeste, Açailândia, MA: Há dois anos e meio, 21 famílias entraram na justiça com ações individuais contra a siderúrgica

'Não agüentamos mais!' 'Nós queremos é sair!' Associação de Moradores do Piquiá Adital - 'Quem vai nos ajudar a sair daqui? Estamos esperando a ajuda do Município, do Estado, de Deus! Nas siderúrgicas ninguém confia mais: nunca se fizeram presentes...` São algumas das colocações do povo de Piquiá de Baixo, município de Açailândia, MA. Há dois anos e meio, 21 famílias entraram na justiça com ações individuais contra a siderúrgica Gusa Nordeste,

Seca na Bulgária afeta centenas de milhares de pessoas

A Bulgária sofre com um verão excepcionalmente seco, agravado pelo atraso na construção de barragens e o crônico desperdício de água, em razão de vazamentos no sistema de distribuição. De acordo com o ministério do desenvolvimento regional, em 02/09, 197.580 pessoas, em 281 vilas e aldeias, estão sujeitas a algum tipo de racionamento da água. Por Henrique Cortez, do EcoDebate, com Agências. 4143

A Royal Society discute combater as mudanças climática com grandes e arriscadas obras de geoengenharia

Na mais recente edição da revista Philosophical Transactions, The Royal Society, academia científica do Reino Unido, discute combater as mudanças climática com grandes e arriscadas obras de geoengenharia. Por geoengenharia entenda-se qualquer intervenção em larga escala visando alterar processos naturais do planeta. Por Henrique Cortez, do EcoDebate. 4141

Justiça japonesa pode determinar o descomissionamento de 2 reatores nucleares em área de risco de terremotos

central nuclear de Hamaoka-3, operada pela Chubu Electric Power Co A Suprema Corte, em Tóquio, pode propor que dois reatores de uma central nuclear, em área de risco de terremotos, sejam fechadas, até que seja efetivamente comprovado de operam em condições de segurança, mesmo em caso de um grande terremoto. Por Henrique Cortez*, do EcoDebate. 4137

Operação Gargalo, artigo de Rogério Grassetto Teixeira da Cunha

[Correio da Cidadania] Semana passada, defendi a criação de centros integrados para a fiscalização dos desmatamentos e de problemas correlatos na Amazônia. Estes centros seriam distribuídos por toda a região e atacariam os diversos problemas simultaneamente e de maneira coordenada, com forte trabalho de inteligência e rápido poder de ação e deslocamento. Esta semana, prossigo com o tema e proponho uma ação específica, seja para os centros, seja para algum

Oceanos à beira do precipício

A mudança climática, a pesca predatória e o desconhecimento social estão levando muitos ecossistemas marinhos a uma situação limite. A reportagem é de Mónica Salomone e está publicada no jornal espanhol El País, 26-08-2008. A tradução é do Cepat. 4131

Top