Todas as centrais nucleares francesas serão avaliadas após recente vazamento em Tricastin

Autoridades realizarão testes em todas as centrais nucleares francesas, a fim de garantir que vazamentos, como o recentemente ocorrido em Tricastin, no sul da França, não se repitam, disse o ministro do Ambiente, Jean-Louis Borloo. Por Henrique Cortez, do EcoDebate, com Agências.

A Areva, operadoras da usina de Tricastin, informou, no início deste mês, que 30 metros cúbicos de líquidos com urânio enriquecido, foram acidentalmente derramados sobre o solo e um rio.

Em uma entrevista ao jornal Le Parisien, publicada na quinta-feira, Borloo informou a criação de uma comissão especial, para garantir a total transparência sobre incidentes nucleares e rever as informações do o acidente. “A comissão irá acompanhar as consequências do incidente, especialmente no nível local”, disse o jornal.

“Mas eu quero que seja para avaliar a situação ambiental e de radioatividade em todas as centrais nucleares e gostaria, sobretudo, que seja estudado o estado dos lençóis freáticos do solo francês em torno de todas as centrais nucleares a seres analisadas”, disse ele.

“Temos de proceder a uma revisão dos locais e eu espero uma análise a partir da comissão”, disse ele.

Na sequência do incidente Tricastin, autoridades proibiram pescar e nadar nas zonas afetadas, bem como foi vetado o uso de água contaminada.

A segurança nuclear da Areva foi criticada pela autoridade autoridade nuclear francesa, ASN, por seu gerenciamento de emerência no incidente e, principalmente, pelo modo como se comunicou com as autoridades. Ele também apontou como insatisfatórias as medidas de segurança e procedimentos operacionais.

Outras informações, sobre o acidente na central nuclear de Tricastin, podem ser encontradas na matéria “Acidente nuclear em usina no sul da França“, de 12/07/2008.

[EcoDebate, 18/07/2008]

Top