Índice da edição de 07/07/2008

(IIRSA) Integração Regional: Infra-estrutura a serviço do grande capital, artigo de Igor Fuser Em 13 anos, fiscalização já resgatou mais de 28 mil pessoas submetidas a trabalho escravo Polícia prende empresário em Juína acusado de agressão ambiental Somente propósito de saber poderá desmascarar justificativas falaciosas para Belo Monte, artigo de Lúcio Flávio Pinto Aqüífero Guarani não é o mar inesgotável de água doce que se imaginava Minc retira críticas a acordo com usineiros Amazônia enfrenta devastação

Em 13 anos, fiscalização já resgatou mais de 28 mil pessoas submetidas a trabalho escravo

Desde que começou a atuar, em 1995, o Grupo Especial de Fiscalização Móvel do Ministério do Trabalho já resgatou mais de 28 mil pessoas submetidos a trabalho escravo e degradante. Segundo dados do ministério, apenas nos primeiros seis meses deste ano, foram resgados 2.112 trabalhadores, em 48 operações realizadas. Por Ivan Richard, da Agência Brasil. 2648

Somente propósito de saber poderá desmascarar justificativas falaciosas para Belo Monte, artigo de Lúcio Flávio Pinto

O incremento de agressividade [Correio da Cidadania] A intenção de extrair energia do rio Xingu, no Pará, tem 28 anos. Foi em 1980 que começaram os inventários sobre o potencial hidrelétrico da bacia, que drena as águas de 7% do território brasileiro. Em 1989 o projeto para o primeiro aproveitamento energético foi brecado pelos índios. Só dois anos depois a Eletronorte se recuperou do abalo que a índia Tuíra causou quando

Minc retira críticas a acordo com usineiros

Dois dias depois de ter classificado de "imoral" um acordo realizado entre o governo de Pernambuco e as 24 usinas de açúcar do estado - todas multadas em R$ 120 milhões por desmatar a Mata Atlântica -, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, deu a mão à palmatória. Em carta enviada na noite de quinta-feira ao governador Eduardo Campos (PSB), o ministro pediu desculpas. O termo de compromisso firmado

Amazônia enfrenta devastação em áreas protegidas

Levantamento mostra que 22,3% dos desmatamentos ocorreram em terras indígenas ou reservas ambientais BRASÍLIA. De cada cinco árvores derrubadas ano passado na Amazônia, uma tombou em reservas indígenas ou de proteção ambiental. Levantamento inédito do Ibama usando dados do Prodes, o sistema que mede por satélite a devastação anual da floresta, mostra que 22,3% das derrubadas ocorreram nas chamadas terras intocáveis, que deveriam estar a salvo das motosserras. Embora o governo

Humanidade tem 7 anos para estabilizar emissões, diz IPCC

O presidente do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, em inglês) da Organização das Nações Unidas, Rajendra Pachauri, afirmou que a humanidade tem apenas sete anos para estabilizar as emissões de gases que causam o efeito estufa. Da BBC Brasil, 05 de julho, 2008 - 05h43 GMT (02h43 Brasília). "Temos uma janela de oportunidade de apenas sete anos, pois as emissões terão que chegar ao máximo até 2015 e diminuir depois

A Amazônia no redemunho, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] Num planeta assustado com mudanças climáticas, é inevitável que a Amazônia não escape do noticiário de cada dia, tal a sua importância tanto para as condições no mundo como para o clima no País. É inquietante, assim, ouvir do novo ministro do Meio Ambiente que o desmatamento nesse bioma ficará entre 14 mil e 15 mil km2 em um ano (crescimento de mais de 20% sobre

La plantación indiscriminada de árboles transgénicos: Fiebre de la forestación en Uruguay, artigo de Sylvia Ubal

[EcoPortal.net] Recorriendo las carreteras de los departamentos de Rivera, Tacuarembó y Paysandú se observa con gran preocupación la gran deforestación indiscriminada y la implantación de los monocultivos de árboles de eucaliptos y pinos. Los pequeños productores que buscan subsistir, ven cómo los árboles secan sus pozos de agua. 2639

Biocombustíveis podem ser até piores do que se pensava a princípio

Um relatório interno do Banco Mundial que vazou para o "Guardian" sustenta que os biocombustíveis talvez sejam responsáveis por até 75% da alta nos preços dos alimentos. Nem os grupos ambientais foram tão longe em suas estimativas. Os preços de alimentos são um assunto prioritário na agenda para a reunião de cúpula da semana que vem do G-8 no Japão, e o presidente do Banco Mundial Robert Zoellick foi claro que

Top