Política indigenista do Brasil é boa, mas não é posta em prática. Entrevista com Stephen Grant Baines

O nordeste do estado de Roraima passa por um período de turbulência desde que a Polícia Federal (PF) tentou retirar não-índios da reserva Raposa Serra do Sol, no início de abril. Suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF) dias depois de seu início, a Operação Upatakon 3 reacendeu os conflitos entre os indígenas e os arrozeiros que ocupam a região desde a década de 1990. Por Rodolfo Borges, da Secretaria de

Desmatamento da Mata Atlântica caiu 69% até 2005, mas aumentou em Santa Catariana e Goiás

Apesar de restar apenas 7,26% da cobertura original da Mata Atlântica, o ritmo de desmatamento do bioma diminuiu cerca de 69%, de acordo com estudo promovido pela organização não-governamental(ONG) SOS Mata Atlântica, que comparou dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) dos períodos de 1995 a 2000 e de 2000 a 2005. Da Agência Brasil. 1654

Estudo aponta redução na destruição da mata atlântica

O desmatamento na área de mata atlântica diminuiu 69% de 2000 a 2005 na comparação com o período 1995-2000. No primeiro período, o Brasil derrubou 445,9 mil hectares e, no segundo, 138,8 mil hectares, segundo informações do Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, apresentado hoje pela Fundação SOS Mata Atlântica e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Por Carolina Freitas, da Agencia Estado. 1653

Após polêmica, Inpe adia anúncio de desmate

Para evitar mais polêmica, a direção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) adiou a divulgação de sua análise sobre desmatamento na Amazônia no mês de abril, que estava marcada para ontem. Pretende debater os resultados com o novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que toma posse hoje. A intenção é divulgar os resultados 'dentro de um contexto técnico-científico' e não em um 'momento político'. Por Simone Menocchi e

hidrelétrica de Jirau: Ibama afirma que não é usual mudar de lugar usina licenciada

A diretoria de licenciamento do Ibama informou ontem, por intermédio da assessoria de comunicação, que "não é usual" a mudança de local de um empreendimento com licença prévia concedida. O consórcio Energia Sustentável do Brasil S.A., vitorioso no leilão de concessão da hidrelétrica de Jirau, decidiu alterar em 9,2 quilômetros a posição original da usina. O Ibama disse ainda que desconhece, na história recente dos licenciamentos, uma decisão deliberada de

Estudo do WWF defende benefício ambiental do etanol

A produção de etanol à base de cana-de-açúcar tem efeitos benéficos do ponto de vista ambiental, não avança sobre áreas de floresta na Amazônia e não compete de forma significativa com a produção de alimentos, afirma um estudo divulgado nesta segunda-feira pela organização ambientalista WWF-Brasil. Da BBC Brasil. 1650

biocombustíveis: Vilão é o deles

Por causa do milho americano, os biocombustíveis estão com má fama. O brasileiro não tem nada com isso. Matéria da Revista Veja, Edição 2062. Há pouco tempo, os biocombustíveis eram festejados como uma das alternativas para salvar o planeta do acúmulo de gás carbônico e da dependência excessiva do petróleo. Eles eram o sinônimo de uma nova era, a era da energia limpa e ambientalmente saudável. Agora, o vento virou radicalmente.

Leilão florestal: mais um desvio? artigo de Lúcio Flávio Pinto

Adital - O primeiro leilão de madeira ilegal do Brasil foi realizado no dia 15, em Santarém, pelo governo do Pará, através da sua Secretaria de Meio Ambiente. Dois dos três lotes oferecidos, contendo pouco mais de 3,6 mil metros cúbicos de madeira, foram arrematados por duas empresas por 1,3 milhão de reais. A madeira leiloada foi apreendida em ações de fiscalização do Instituto Brasileiro dos Recursos Naturais e Renováveis

exploração mineral: Uma ameaça à ecologia, artigo de Luiz Leitão

[O Tempo] Embora o alto preço de um produto seja indicativo de sua escassez e devesse contribuir para a redução do seu consumo, para a maioria das commodities este dogma não tem funcionado. Ameaças a santuários ecológicos e regiões ainda virgens do planeta crescem na proporção direta da cotação do petróleo e de alguns minerais, pois altos preços tornam viável a prospecção de óleo, gás e minérios nos mais inóspitos recantos,

Quién gana con la crisis alimentaria mundial? artigo de Esther Vivas

[EcoPortal.net] La crisis alimentaria global beneficia a las multinacionales que monopolizan cada uno de los eslabones de la cadena de producción, transformación y distribución de los alimentos. Las tierras, las semillas, el agua… son propiedad de multinacionales que ponen un precio exorbitante a unos bienes que hasta hace muy poco eran públicos. Frente a la mercantilización de la vida, debemos de reivindicar el derecho de los pueblos a la soberanía

Top