Força Tarefa do Baixo Parnaíba e MP levantam dados sobre conflito de terra

A primeira reunião da Força Tarefa que analisa a situação de conflito de terras na região de São Benedito do Rio Preto aconteceu segunda, 28, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, um mês após as denúncias feita em audiência pelos representantes do Fórum em Defesa do Baixo Parnaíba ao Ministério Público Estadual. 1104

Maioria das pessoas em situação de rua tem emprego ou atividade remunerada, aponta pesquisa

A maior parte da população em situação de rua no Brasil (70,9%) exerce atividades remuneradas, entre elas a de catador de materiais recicláveis, flanelinha, empregado de construção civil e de limpeza e como estivador (ajudante de embarque de carga nos portos). A maioria (52,6%) recebe entre R$ 20 e R$ 80 por semana e 15,7% têm a esmola como principal meio para a sobrevivência. Matéria de Sabrina Craide, da Agência

Gado e soja no Amazonas têm impacto negativo

Nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 552 pontos de alerta de desmatamento na Amazônia. O número eqüivale a 71% de todos os pontos identificados ao longo de 2007. Apenas em fevereiro, o Sistema de Detecção em Tempo Real (Deter) contabilizou 725 quilômetros quadrados de novas áreas desmatadas. Já no mês de março, segundo dados divulgados no último dia 22 pelo

Crise alimentar é nova ameaça à Amazônia, dizem especialistas

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Enormes extensões ociosas do território brasileiro poderiam ser parte da solução para a crise alimentar mundial, mas há o risco de que o atual aumento nos preços alimentícios estimule a devastação da Amazônia. Por Stuart Grudgings, da Agência Reuters, publicado pelo UOL Notícias, 29/04/2008 - 20h31. 1101

Área desmatada dispara em 2 Estados no período de chuva

Juntos, MT e PA derrubaram 214 km2, contra 77 km2 no ano passado, segundo o Imazon As motosserras voltaram a roncar em Mato Grosso e no Pará nos três primeiros meses do ano, justamente quando o governo federal anunciou medidas para combater o desmatamento na Amazônia. Nos dois Estados, recordistas da destruição, praticamente triplicou a área devastada no período, um movimento atípico para esta época do ano, quando a ação no

Raposa Serra do Sol: Índios enfrentam fazendeiros,Justiça e militares por suas terras

BRASÍLIA - Líderes indígenas disseram na quarta-feira que vão manter a luta por suas terras, apesar das ameaças de fazendeiros armados, da pressão dos políticos e das preocupações das Forças Armadas com a soberania territorial brasileira. Matéria de Raymond Colitt, da Agência Reuters, publicada pelo Estadao.com.br, quarta-feira, 30 de abril de 2008, 19:11. 1099

RS. Um silêncio de angústia atravessa o deserto verde. Entrevista especial com Kathia Vasconcellos

O zoneamento ambiental da silvicultura do Rio Grande do sul, apresentado há algumas semanas, chocou, Floresta de eucaliptode certa forma, o movimento ambientalista gaúcho. O resultado visualizado no documento mostra uma forte pressão das papeleiras sobre o governo do estado, o qual já estava ligado às empresas desde a época do processo eleitoral. Os prejuízos que este novo zoneamento ambiental da silvicultura pode trazer ao meio ambiente rio-grandense são inúmeros,

Arroz com Feijão: Os números do Censo Agropecuário, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] Dizem que o arroz com feijão é uma invenção tipicamente brasileira, assim como o café com leite. Melhor, os nutricionistas descobriram que são excelentes combinações nutricionais. Entretanto, como tudo que tem origem nacional, arroz com feijão tornou-se sinônimo de algo irrelevante, quando não imprestável. Até que o preço subisse nas nossas mesas. Agora, literalmente, passaram a ter valor. 1097

Algumas perguntas para reflexão, artigo de Frei Gilvander Moreira e prof. José Luiz Quadros de Magalhães

[EcoDebate] Vivemos hoje em um mundo acelerado. O desenvolvimento da tecnologia, especialmente na comunicação e no transporte, faz com que as pessoas que têm acesso a esses avanços tecnológicos trabalhem mais, produzam mais. O computador, o celular, o avião e outras tecnologias, em lugar de nos permitirem mais tempo de ócio – logo de reflexão - convivência e cultura, fazem com que trabalhemos mais, e muitas vezes, ocupemos os postos

Degradação ambiental ameaça abelhas do cerrado maranhense, artigo de Márcia Rêgo Patrícia Albuquerque e Giorgio Venturieri

[JB On-line] As abelhas sem ferrão do cerrado maranhense usam certas árvores para fazer seus ninhos, mas a degradação do ambiente por ações humanas vem reduzindo a disponibilidade desses locais, ameaçando a sobrevivência das abelhas. As conclusões são de um levantamento em áreas de cerrado e de cerradão (mais fechado e com árvores mais altas) feito por cientistas da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). 1095

Saiba como eliminar focos e evitar a picada do Aedes aegypti

Os dados científicos sobre as principais características e o comportamento do Aedes aegypti, vetor do vírus da dengue, são fundamentais para orientar a população sobre a eliminação dos focos de reprodução do vetor e para buscar alternativas para evitar a picada do mosquito. Abaixo, algumas informações relevantes apontadas pela ciência e também dados de recentes pesquisas desenvolvidas pelo Laboratório de Transmissores de Hematozoários do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fiocruz,

A poluição industrial

Um grupo de dez indústrias responde por quase 70% das emissões de gás carbônico (CO2) de todo o setor industrial de São Paulo. Algumas dessas indústrias informam que investiram ou estão investindo em equipamentos para a redução da emissão de CO2, mas um estudo da Secretaria de Estado do Meio Ambiente deixa claro que os resultados são insatisfatórios. No total, a indústria de São Paulo lança no ar 29 milhões

O mundo e a fome, por Miriam Leitão

[O Globo] A ONU descobriu tardiamente o grave problema da crise de alimentos, e fica batendo cabeça atrás de uma solução. Ora a culpa é dos biocombustíveis em geral; ora uma força-tarefa resolveria o problema. Há soluções: o mundo precisa produzir mais alimentos; o comércio de produtos agrícolas tem que ser mais livre; os Estados Unidos precisam mudar a matéria-prima do seu etanol. A fome não começou ontem. 1092

Brasil não tem como ficar imune à crise dos alimentos, dizem analistas

RIO - Mesmo não dependendo da importação de alimentos, o Brasil não tem como ficar a salvo da crise de preços que afeta esses produtos, porque quase todos eles seguem a cotação internacional. Ou seja, quando o preço sobe lá fora, tende a subir aqui dentro também, porque caso o mercado interno não aceite pagar, o produtor tem a opção de exportar. Essa é a opinião dos analistas ouvidos pelo

Crise dos alimentos não deve matar de fome por enquanto, diz ONU

GENEBRA - A escassez de comida e o aumento do preço dos produtos alimentícios no mundo todo tendem antes a provocar subnutrição do que a matar de fome, ao menos no curto prazo, afirmou na quarta-feira o coordenador de uma nova força-tarefa da Organização das Nações Unidas (ONU). Por Laura Macinnis, da Agência Reuters, publicada pelo Estadao.com.br, quarta-feira, 30 de abril de 2008, 14:42. 1090

Top