Ainda o mito da internacionalização da Amazônia, artigo de Henrique Cortez

[EcoDebate] Com o impasse na Terra Indígena Raposa Serra do Sol foram retomados os discursos inflamados sobre o pseudo-risco da internacionalização da Amazônia, inclusive servindo de lastro para acusar os indígenas, ambientalistas, ONGs e críticos da devastação, como se estivessem a soldo de interesses escusos. Como pano de fundo, temos o medo de uma pretensa internacionalização de nossa Amazônia. 656

MPX Mineração e Energia: Projeto de Eike gera conflitos

Moradores do assentamento fundiário Cassaco, no lugarejo Quebra Pote, zona rural de São Luís, expulsaram do local máquinas e homens da MPX Mineração e Energia Ltda, empresa do bilionário Eike Batista (grupo EPX). O episódio ocorreu na última quinta-feira (17), após fracassada tentativa da Polícia Militar de garantir a empresa no local. Publicado in http://www.walter-rodrigues.jor.br/ 655

bancada do desmatamento: Senadores discutirão medidas para forçar suspensão da Operação Arco de Fogo

Senadores da Subcomissão Temporária para Acompanhar a Crise Ambiental na Amazônia se reunirão hoje (23/4) para discutir medidas no sentido de forçar uma suspensão da Operação Arco de Fogo, criada pelo governo federal para combater o desmatamento ilegal na Amazônia. Matéria de Marco Antônio Soalheiro, da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate. 654

Presidente consentiu Maggi desmatar em Mato Grosso, acusa antrópologo

Eduardo Viveiros de Castro, professor do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, é considerado “o” antropólogo da atualidade. Dele diz Claude Lévi-Strauss, seu colega e mentor, seguramente um dos maiores pensadores do século 20: "Com ele me sinto em completa harmonia intelectual". E são com credenciais como essa que Viveiros de Castro faz um duro ataque ao governador Blairo Maggi e uma séria denúncia contra a instituição

O zoneamento florestal e as empresas de celulose. Entrevista especial com Althen Teixeira Filho

Enquanto os grandes veículos de comunicação do Rio Grande do Sul transformam-se em “panfletos” das propostas e promessas das grandes empresas de celulose, técnicos, ambientalistas e alguns cidadãos gaúchos reagem ao novo zoneamento ambiental aprovado na semana passada. Um zoneamento que mostra o quanto o governo estadual está aberto às exigências das papeleiras e não às necessidades do povo rio-grandense. “O governo eleito parece ter se apoderado do estado em

rio Gravataí: Mais um rio em agonia no Rio Grande do Sul. Entrevista especial com Carlos Marchiori

Cerca de um ano e meio depois da tragédia que marcou o Rio dos Sinos com a mortandade de toneladas de peixes, um caso semelhante acontece no rio Gravataí, que abastece os municípios de Canoas, Alvorada, Viamão, Glorinha e Santo Antonio da Patrulha, além de desembocar no lago Guaíba e levar sua poluição para Porto Alegre também. A poluição do rio já era algo visível, e a tragédia, aguardada. “O

Canaviais crescem com avanço sobre pastos

Os canaviais no país avançam sim, mas não sobre o espaço usado para o plantio de outras lavouras. É o que se infere do cruzamento da evolução da área usada pela agropecuária no país. De 2001 a 2007, os plantios cresceram 24%, para 63,1 milhões de hectares, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os números incluem, além da cana-de-açúcar, culturas perenes como café, cacau e laranja.

Movimentos sociais criticam álcool

O argumento central do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de que o ataque aos biocombustíveis é uma espécie de complô do mundo rico, acabou sendo enfraquecido ontem mais ou menos no momento em que ele deixava a reunião da Unctad, em Acra (Gana), para retornar ao Brasil. A reportagem é de Fábio Zanini e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 22-04-2008. 649

Minas reduz desmatamento

Pesquisa encomendada pelo IEF à Universidade Federal de Lavras mostra queda de quase 30% no ritmo de devastação da vegetação nativa. Dados serão divulgados oficialmente hoje. Por Thiago Herdy, do Estado de Minas, 22/04/2008. 648

Os biocombustíveis vão produzir escassez de alimentos? Especialistas expõem opiniões divergentes em entrevistas ao G1

Eles avaliam se o Brasil tem responsabidade na anunciada crise mundial de alimentos. Assunto principal na agenda mundial das últimas semanas, a polêmica dos biocombustíveis e da crise mundial dos alimentos tem o Brasil no centro do debate. A principal questão é: o Brasil é ou não um vilão no cenário de escassez de alimentos? O G1 ouviu dois especialistas na área de agricultura com opiniões dissonantes sobre o tema.

Dia sem índio, artigo de Marcelo Leite

[Folha de S.Paulo] Em seu zelo de preservar os direitos de seis arrozeiros, o STF parece disposto a revogar os fatos. Ontem comemorou-se o Dia do Índio. Na toada em que anda a questão indígena, dia chegará em que os índios não mais atrapalharão "os brasileiros" na sua tarefa histórica de construir uma nação destruindo a própria terra e sua gente. 645

Top