Os índios incomodam porque suas terras, homologadas e reservadas, saem do mercado fundiário. Entrevista com Eduardo Viveiros de Castro

“As terras não são dos índios, mas da União. Eles têm o usufruto, o que é bem diferente. Já os arrozeiros querem a propriedade.” A afirmação é de Eduardo Viveiros de Castro, professor do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro em entrevista ao caderno Aliás do jornal O Estado de S.Paulo, 20-04-2008. 611

Márcio Meira, presidente da FUNAI: ‘Preconceito contra índios está voltando em onda conservadora’

O preconceito racial contra os índios está passando por uma fase de recrudescimento, segundo o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), o historiador Márcio Meira. Um dos principais fatores para a mudança seria a expansão econômica, especialmente do agronegócio, em direção às regiões do sertão brasileiro, onde vivem os índios. De acordo com Meira, ainda impera no País uma visão de progresso segundo a qual tudo que impede o

Apenas 17 soldados protegem uma faixa de 1.385 quilômetros de divisa no extremo norte do Pará

Amazônia oriental é o ponto mais vulnerável da fronteira. Dos 25 mil homens de que o Exército dispõe para defender a Amazônia de ameaças que vão do tráfico de drogas à cobiça internacional pelas nossas riquezas naturais, apenas 240 vigiam mais de 2 mil quilômetros de fronteira com as Guianas e o Suriname, na chamada Amazônia oriental. Destes, um contingente de 17 soldados tem a missão de proteger uma faixa

Deserto verde ameaça o Rio Grande do Sul. A ação das três gigantes multinacionais

“O papel será feito no primeiro mundo e as terras esgotadas e a poluição ficarão por aqui. O capital internacional viu que as terras aqui são baratas, as pessoas estão largando suas lidas no campo para arrendar ou vender suas terras”. A afirmação é do Dr. Paulo Brank, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em reportagem de Patrícia Prezzoto no sítio do Movimento dos Atingidos por Barragens

Uma nova tragédia está por vir? A situação do Rio Gravataí. Entrevista especial com Marcos Aurélio Chedid

Com o aumento das temperaturas na região metropolitana do Rio Grande do Sul nos últimos dias, a situação dos peixes da Bacia do rio Gravataí pode ser agravada. “A situação é preocupante, pois o aumento da temperatura pode causar o aumento da superfície da lâmina d’água e continuar com o processo da matéria orgânica com as águas do rio”, comentou o Secretário de Preservação Ambiental de Canoas Marcos Aurélio Chedid.

Sem muito alarde, deputados articulam na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara alterações no Código Florestal brasileiro

Redução em Reserva Legal pode ser de 50% - As mudanças que estão sendo costuradas deixam os ambientalistas em alerta. A principal preocupação é com os efeitos para as florestas do país. O ponto central prevê a redução, para fins de recomposição, da área de Reserva Legal na Amazônia de 80% para 50% nos imóveis rurais. A área de preservação pode ser reduzida para até 30% da propriedade, no caso

Efeitos do aquecimento chegam ao Semi-Árido

Dados da Embrapa mostram um aumento de meio grau na temperatura do ar. A partir de dois graus a agricultura pode ficar comprometida PETROLINA - O pólo de fruticultura irrigada do Semi-Árido brasileiro já está sentindo os efeitos do aquecimento global. Levantamento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mostra um aumento de meio grau na temperatura do ar. Por Verônica Falcão, vfalcao@jc.com.br, do Jornal do Commercio, PE, 19/04/2008. 602

Produção de alimentos orgânicos ajuda a melhorar vida de famílias no Entorno do DF

Brasília - O agricultor Ivo Barfnecht mostra espécies de milho orgânico cultivadas no Assentamento Cunha, na Cidade Ocidental, região do entorno do Distrito Federal Brasília - Embora o preço dos produtos orgânicos esteja distante da realidade de boa parte da população do país, o aumento do consumo dos alimentos sem aditivos químicos tem contribuído para melhorar a qualidade de vida de assentados da reforma agrária. Matéria de Ivan Richard, da Agência

Caramujo africano ameaça mais o ambiente do que saúde

Se você encontrar alguns caramujos africanos em seu quintal, não precisa ficar alarmado. Esses moluscos podem estragar o seu jardim ou a sua horta, mas é pouco provável que coloquem em risco a sua saúde ou a da sua família. Segundo o médico e pesquisador dos laboratórios de Biologia Parasitária e de Parasitologia Molecular da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Carlos Graeff Teixeira, o caramujo africano

Nova linhagem de bactéria, resistência a medicamentos, pobreza e interação com Aids agravam quadro da tuberculose

Drama mortal – No mês passado ganharam o mundo dois estudos que mostram quão dramático é o quadro de uma das doenças mais temidas da humanidade, a tuberculose. Um deles descreve uma nova linhagem da principal espécie de bactéria causadora de tuberculose, o bacilo Mycobacterium tuberculosis, que apresenta uma perda do genoma uma vez e meia maior que a maior perda já encontrada em qualquer outra das seis espécies do

Top