Estudo aponta contaminação em 70% das águas superficiais do Brasil. Apenas 25% do esgoto coletado no país é tratado

A poluição tornou 70% das águas de rios, lagos e lagoas do Brasil impróprias para o consumo. É o que aponta relatório editado pela organização não-governamental Defensoria da Água, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A pesquisa, que traz dados do período 2004-2008, envolveu 423 pesquisadores, 830 monitores de campo e cerca de 1.500 voluntários, que identificaram 20.760 áreas de contaminação em todo o país. Matéria de

Desperdício diário de água é suficiente para abastecer 38 milhões de pessoas. Uso consciente da água pode evitar desperdício

Diariamente nas capitais brasileiras o desperdício de água potável equivale a 2.500 piscinas olímpicas (em média 2,5 milhões de litros de água). E a culpa neste caso, não é do consumidor. A perda de cerca de seis bilhões de litros – o suficiente para abastecer 38 milhões de pessoas – acontece entre a retirada dos mananciais e a chegada às torneiras. Matéria de Luana Lourenço, da Agência Brasil, publicada pelo

Dos 5,5 mil municípios, apenas 39% têm destinação adequada de resíduos sólidos

Dos 5.564 municípios brasileiros, apenas 39% têm meios de destinação adequada para os resíduos sólidos coletados, enquanto os 61% dos municípios, que não dão destino adequado, "contribuem para a degradação do meio ambiente, do solo, das águas e, principalmente, estão colocando em risco a saúde pública da população, num quadro bastante precário", segundo o assessor Jurídico e de Assuntos Institucionais da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos

Águas do Velho Chico têm seu preço

Industriais, agricultores, empresas de abastecimento e outros usuários das águas do rio São Francisco vão pagar pelo uso a partir de 2009. É quando os representantes do Comitê da Bacia do São Francisco devem finalizar os cálculos para saber quem paga quanto e por que. A Agência Nacional das Águas (ANA) entregou ao comitê no final do ano passado o estudo final que avalia a economia da bacia. O levantamento

Siderúrgicas do Pará usaram madeira ilegal

Grandes siderúrgicas do Pará foram um dos destinos do carvão produzido com madeira extraída ilegalmente na Amazônia, de acordo com autuações feitas a partir de 2005. É o que afirmam o Ibama, a Sema (Secretaria Estadual de Meio Ambiente) e o Ministério Público Federal, com base em números obtidos pelos órgãos ambientais sobre o uso de carvão no pólo siderúrgico de Marabá (836 km de Belém). Por Fábio Guibu e

Após 8 anos do vazamento de óleo da Petrobras, única punição foi para operador de duto

O CRIME DOS 6 SALÁRIOS-MÍNIMOS - Na madrugada de 18 de janeiro de 2000, o vazamento de 1,3 milhão de litros de óleo de um duto da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) transformou a Baía de Guanabara num mar espesso e morto. Em poucas horas, praias, manguezais e a fauna da região sucumbiram à contaminação. Por Daniel Engelbrecht, Elenilce Bottari, Paulo Marqueiro e Tulio Brandão, do O Globo, 20/03/2008. 209

RJ, A fantasia das multas ambientais – Em dez anos, órgãos estaduais receberam menos de 1% do valor cobrado

Notícia de jornal em 2 de abril de 2003: por lançar 1,2 bilhão de litros de resíduos tóxicos nos rios Pomba e Paraíba do Sul, deixando cerca de 500 mil pessoas sem água, a Indústria de Papel Cataguazes foi multada pelo Ibama em R$ 50 milhões, máximo previsto na Lei de Crimes Ambientais. Notícia de jornal hoje, passados cinco anos: a multa ainda não foi paga. Por Daniel Engelbrecht, Elenilce

RJ, extração ilegal de areia: A propina que move areais

Administrador de empresa diz que dava dinheiro a fiscais para acelerar licença - Uma investigação da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente revelou a rotina criminosa de uma das atividades mais lesivas à natureza quando não são respeitados os limites de sua exploração. Ela envolveu 17 areais da Reta do Piranema, nos municípios de Seropédica e Itaguaí, na Bacia do Guandu, que abastece 80% do Grande Rio. Em todos os

água engarrafada: O consumo supérfluo, artigo de Rogério Grassetto Teixeira da Cunha

[Correio da Cidadania] Um dos dois pilares da crise ambiental atual é o consumismo desenfreado. O outro é a quantidade de gente por aqui (não estou com isto querendo justificar ou sugerir medidas extremistas, apenas constato um fato: o excesso de gente somado ao consumismo são as causas principais da crise ambiental que presenciamos). Atualmente, criam-se falsas necessidades, tudo para estimular o consumo, este deus supremo da sociedade atual. Repare

Até o fim do ano, clima a passo lento, artigo de Washington Novaes

[O Estado de S.Paulo] Que vai acontecer em Bangcoc a partir do dia 31, em mais uma etapa de negociações da Convenção do Clima? Dificilmente haverá decisões substanciais, por dois motivos: 1) O prazo de negociação para um novo acordo, a vigorar em 2013, após o Protocolo de Kyoto, vai até o fim deste ano - e os governos não costumam fazer antes da última hora as necessárias concessões; e

FAO: Produção de biocombustíveis pode colocar segurança alimentar em risco

Santiago do Chile - A segurança alimentar da América Latina enfrenta riscos devido à produção de biocombustíveis a partir de cultivos agrícolas importantes na alimentação de seus habitantes, adverte um relatório da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, divulgado hoje em Santiago. Matéria da Agência EFE, publicada pelo UOL Notícias, 20/03/2008 - 18h08. 204

Top