Mais banhados em vias de destruição no sul do Rio Grande do Sul

Contrariando as sugestões listadas no ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL do Sistema de Disposição Final para Resíduos Sólidos Urbanos – Rio Grande – RS (1997) a pedido da Prefeitura Municipal de Rio Grande, a VEGA (disfarçada de Rio Grande Ambiental) iniciou as escavações (vide fotos) para o futuro Aterro Sanitário no famoso Banhado 25 (Km 32 da Estrada BR-392, Rio Grande-Pelotas). Por Antônio Libório Philomena – Professor – FURG, alphilo@mikrus.com.br .

O Banhado 25 (também conhecido como Banhado do Maçarico – vide fotos) com uma grande riqueza de espécies nativas e sendo resultado junção das águas superficiais locais com as águas subterrâneas regionais (tanto da Lagoa dos Patos, como do Taim) está prestes a ter um aterro sanitário nas suas bordas por conta da irresponsabilidade sócio-ambiental deste empreendimento. Mais um problema nesta cidade que já tem nos seus históricos registros terríveis no tratamento que até agora dispensou aos resíduos sólidos urbanos, industriais e portuários.

A comunidade rural que vive na área escolhida não foi ouvida (somente semana retrasada que, por conta própria, após verem a instalação dos cartazes da obra, visitaram a empresa Rio Grande Ambiental para conhecer o projeto). Além disso, vivem da produção familiar agropecuária e só dispõe de águas de poços para todas as necessidades. Incrivelmente um dos engenheiros da VEGA disse que a água do chorume após tratamento sairá potável! Ou seja, este filme é conhecido em todo Brasil.

Enquanto isso, o restante dos banhados gaúchos é drenado para virarem áreas de fumo, mamona, soja e milho transgênicos. Agora aterros sanitários também combinam com banhados.

Top