Ausência governamental facilita destruição do Cerrado

Rio Verde, no sudoeste de Goiás, é o maior produtor de soja do estado, que teve sua produção triplicada na última década. O aumento ocorreu principalmente devido aos bons preços no mercado internacional e ao desenvolvimento tecnológico relacionado à produção, permitindo o plantio da cultura no Centro-Oeste brasileiro. Contudo, este desenvolvimento causa perdas ambientais, mas apenas a consciência dos agricultores sobre este problema não é suficiente para amenizar o impacto

Desenvolvimento na Amazônia se tornou sinônimo de derrubar, queimar, arrasar, matar. Entrevista com dom Erwin Kräutler

“Parem com isso! Chega! Não há meio termo! Já estamos no limite! Não se pode mais dar concessões!”. A indignação é manifestada por dom Erwin Kräutler, bispo do Xingu e presidente do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Segundo dom Erwin até recentemente “desmatar significava beneficiar, valorizar a área. Coisa espantosa!”, exclama ele. “Assim aconteceu – continua o seu raciocino - que fazendeiros simplesmente mandaram derrubar a mata em larga escala, só

transposição do rio São Francisco: Copo de água para quem tem sede é furada, diz Ciro

Na quinta-feira (14/2), em uma audiência pública no Senado Federal sobre a transposição do Rio São Francisco, o deputado federal e ex-ministro Ciro Gomes (PSB-CE) assumiu que as populações difusas do semi-árido brasileiro não serão beneficiadas. Renina Valejo - Cáritas Brasileira - com colaboração de Marcy Picanço do Cimi. 547

Representante da ASA diz que modelo de desenvolvimento do Semi-Árido é a raiz da desigualdade social na região

“Primeiramente, eu fico feliz pelo esclarecimento dado pelo deputado Ciro [Gomes, do PSB - CE], de que esse projeto [a transposição do São Francisco ] não foi concebido para atender a população difusa”, foi com essa frase que Luciano Marçal, engenheiro agrônomo e representante da Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA), na audiência pública sobre a transposição, realizada ontem (14), em Brasília (DF), iniciou seu discurso. Para ele, essa

Trabalhador escravo é torturado com ferro quente no Pará

Fiscalização encontrou 35 pessoas em situação análoga à escravidão em área de fazendeiro reincidente no crime. Denúncia partiu de trabalhador que diz ter sido marcado com ferro quente quando reclamou de salários atrasados Por Iberê Thenório, Agência de Notícias Repórter Brasil Mais de sessenta cicatrizes recentes de ferro quente marcam o trabalhador de cerca de 30 anos que denunciou trabalho escravo em uma fazenda de Paragominas, no Leste do Pará. De acordo

Cana concentra trabalho degradante

No ano em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou o álcool combustível uma de suas principais bandeiras, alçando os usineiros a "heróis mundiais", mais da metade das libertações de trabalhadores em condições degradantes ou análogas à escravidão no Brasil ocorreu em usinas de cana-de-açúcar. A reportagem é de Thiago Reis e João Carlos Magalhães e publicada pelo jornal Folha de S. Paulo, 17-02-2008. 544

Pesquisadores da UFRJ desenvolvem técnica inédita no mundo para produzir propeno a partir de biodiesel

Glicerina para gasolina e petroquímica verde - Depois dos combustíveis renováveis para veículos, como o álcool e o biodiesel, surge a possibilidade de progredir uma indústria petroquímica a partir da biomassa. Um grupo de pesquisadores do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desenvolveu uma tecnologia inédita no mundo que permite produzir o “propeno verde”, que poderá ser usado como matéria-prima básica da indústria petroquímica. O

Calor é que faz o nível do mar subir na Antártida

O nível do mar ao redor da Antártida subiu na última década, e não foi por causa do derretimento do gelo. Para os cientistas australianos que estão há 15 anos acompanhando os dados oceanográficos da região, a culpa é apenas da mudança climática, que fez a água do mar aquecer e se expandir. Matéria da Agência Reuters, publicada pela Folha Online, 18/02/2008 - 08h20. 542

agronegócio: Herói e vilão, artigo de Miriam Leitão

[O Globo] Há quem diga que o agronegócio é o herói da economia; há quem diga que é o vilão. O setor tem um pouco dos dois. Nas últimas semanas, o agronegócio foi atacado em várias frentes: aqui dentro, acusado de ser responsável pelo desmatamento; lá fora, enfrenta o embargo à carne pela União Européia. O setor tem se colocado como vítima, o que também não é. Ele tem grandes

Carnívoros influenciam a composição vegetal de um ecossistema e o processamento da energia solar na Terra

Dialética do predador - Imagine um planeta com apenas duas espécies de animais e várias de vegetais, no qual leões comem zebras que comem gramas e ervas. Se não fosse pelos leões comendo as zebras, elas acabariam com os vegetais e transformariam o hipotético planeta em um deserto. Esse importante papel dos carnívoros na cadeia alimentar foi sugerido faz já meio século por biólogos especialistas em ecologia. Por Ricardo Bonalume

Top