Amazônia: Avanço da agropecuária e abertura de rodovias podem reduzir até 21% de mata até 2030

A Amazônia pode perder até 21% de sua cobertura florestal até o fim de 2030, revela estudo de cientistas da Universidade Federal de Minas Gerais e do Instituto de Pesquisas Ambientais da Amazônia. Pela projeção, o desmatamento no ritmo atual riscaria do mapa, em 23 anos, 670 mil quilômetros quadrados de floresta, área 15 vezes maior que o Estado do Rio. Por Bernardo Mello Franco, O Globo, 03/02/2008. 733

Desmatamento avança em reserva extrativista no Pará

Denúncia de derrubada da floresta foi encaminhada por movimentos sociais ao governo federal - A floresta amazônica continua sendo devastada. Dentro dos 358 mil hectares da reserva extrativista Renascer, em Prainha, no sudoeste do Pará, tratores e motosserras derrubam espécies nobres de madeira que são depois transportadas em balsas pelo Rio Uruará. Segundo denúncia de movimentos sociais do Estado, à beira do rio, pátios de madeireiras estão cheios de toras.

agropecuária: Produção pode dobrar sem desmate na Amazônia

Sorocaba, SP, 6 (AE) - A produção agropecuária atual dos Estados incluídos na Amazônia Legal pode dobrar sem a necessidade de derrubar mais árvores, segundo o engenheiro agrônomo Rodolfo Warto Cyrineu, especialista em recuperação de lavouras e pastos degradados. Basta manejar com mais eficiência as áreas já desmatadas e investir na melhoria do solo. Por José Maria Tomazela, Agência Estado, 06/02/08 às 19:09 731

Inpe descarta mudança em números recentes do desmatamento na Amazônia

Depois de apontar um desmatamento na região amazônica nos meses de novembro e dezembro de 1.922 quilômetros quadrados de floresta, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) teve os dados questionados pelo governo de Mato Grosso. Segundo o Inpe, o estado foi responsável por 53,7% do total desmatado entre agosto e dezembro de 2007. Por Marco Antônio Soalheiro, repórter da Agência Brasil. 730

DF: Cerrado em risco

Com 2 milhões de quilômetros quadrados, o cerrado é insurgência fitogeográfica do tipo savana de incalculável biodiversidade vegetal e animal estendida sobre nove estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão e Piauí. Há tempos se encontra ameaçado pelo avanço de monoculturas (soja a mais visível), pecuária extensiva, desmatamento, queimadas, carvoaria e outras formas de predação. Editorial do Correio Braziliense,

Europa tenta crescer com baixa emissão de carbono

Metas incluem ter 20% de energia renovável até 2020 e taxar poluidores - A Europa revelou no mês passado o “caminho das pedras” para um futuro com baixas emissões de carbono. Um dos mais radicais planos que a União Européia produziu, o pacote é um esforço para posicionar o bloco na vanguarda dos esforços para conter o aquecimento global. Por Mark Rice-Oxley, Christian Science Monitor, Londres, publicado pelo O Estado

PAC-real, artigo de Ana Echevenguá

[EcoDebate] Ao apagar das luzes de 2007, o barril de petróleo atingiu seu valor máximo: foi negociado por mais de 100 dólares na Bolsa Mercantil de Nova York. Dá pra imaginar que, há dez anos, este mesmo barril custava pouco mais de 10 dólares? 726

Limites da tolerância, artigo de Leonardo Boff

[EcoDebate] Tudo tem limites, também a tolerância, pois nem tudo vale neste mundo. Os profetas de ontem e de hoje sacrificaram suas vidas porque ergueram sua voz e tiveram a coragem de dizer: "não te é permitido fazer isto ou aquilo". Há situações em que a tolerância significa cumplicidade com o crime, omissão culposa, insensibilidade ética ou comodismo. 725

Duzentos anos de atraso no Brasil, artigo de Marcos Sá Corrêa

[O Estado de S.Paulo] Dos bicentenários que se penduram em cachos na folhinha de 2008, o único que poderia ensinar alguma coisa à atual administração pública brasileira tem tudo para passar em brancas nuvens. Fará 200 anos, daqui a pouco, a chegada ao Rio de um governo que fingiu acabar com a imprudência ambiental nas encostas da cidade. 724

Top