DETER registra aumento de desmatamento na Amazônia

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, anunciou ontem (23/1) um desmatamento de 3.235 quilômetros quadrados na Amazônia de agosto a dezembro de 2007. Os números, registrado pelo sistema DETER (Detecção do Desmatamento em Tempo Real), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), apontam uma tendência de aumento do desmatamento. Por ASCOM MMA 858

Área desmatada na Amazônia pode ser o dobro dos números preliminares

A área desmatada na Amazônia entre agosto e dezembro de 2007 pode ser o dobro dos 3.235 quilômetros quadrados desmatados anunciados ontem (23) pelo Ministério do Meio Ambiente. A estimativa maior pode ser explicada pelas diferenças entre os dois sistemas de monitoramento da floresta.Por Marco Antônio Soalheiro, repórter da Agência Brasil. Segundo o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) Gilberto Câmara, os dados preliminares não refletem a totalidade da

País desperdiça R$ 10 bi por ano em energia elétrica

[O Globo] Em meio ao fantasma de um novo apagão, o Brasil está desperdiçando praticamente R$10 bilhões por ano da energia gerada, segundo estimativas oficiais. Essa perda, de 10% do total, equivale ao consumo anual das residências das regiões Nordeste, Sul e Centro-Oeste ou, em outra comparação, ao que indústria e comércio consomem no Sul. Além da descontinuidade de programas educativos e hábitos errados, o preço elevado e a desinformação

Atividade de cemitérios pode causar riscos ao solo e águas subterrâneas

A instalação de cemitérios em locais com condições geológicas desfavoráveis pode provocar sérios riscos ao meio ambiente. "Devido ao processo de decomposição de corpos dispostos no subsolo, os cemitérios podem apresentar a potencialidade de comprometer a qualidade do solo e das águas subterrâneas", alerta a pesquisadora Ana Paula Silva Campos, que estudou o tema em sua dissertação de mestrado em Saúde Ambiental na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP.

Níveis altos de CO2 tornam alimentos menos nutritivos

Aumento do nível do mar, espécies animais e vegetais em processo de extinção, ilhas sob ameaça de desaparecer, ondas de calor. Todos estes efeitos do aquecimento global já são bem divulgados e conhecidos, mas agora um problema inusitado acaba de entrar para a lista de consequências da concentração alta de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera - os alimentos estão ficando menos nutritivos. Aquela batata cozida do almoço

Plano da UE contra aquecimento global mantém biocombustíveis

Medida vinha sendo contestada; projeto põe fim à 'era da energia barata' e elevará custos dentro do continente. BRUXELAS - A Comissão Européia se reuniu nesta quarta-feira, 23, para adotar propostas históricas que tornarão o bloco de 27 países um líder mundial na luta contra as mudanças climáticas, mas, entre as contrapartidas, estará um maior custo com energia, estimado em três euros por semana (R$ 8) para cada cidadão

Águas para a vida e não para o mercado, artigo de Maria Amélia Leite

A tragédia se repete. O cenário é o mesmo. As elites se arvoram de portadoras dos interesses populares no Nordeste sem nunca terem sido consultados os principais interessados milenarmente, os povos indígenas, os ribeirinhos, escreve Maria Amélia Leite, secretária-Geral da Associação Missão Tremembé e Membro da Frente Cearense por uma Nova Cultura da Água em artigo publicado no jornal O Povo, 22-03-2008. 850

A ministra e o criacionismo, artigo de Marcos Sá Corrêa

[O Estado de S. Paulo] A ministra Marina Silva entrou em rota de colisão com Charles Darwin. Em vez de discutir projetos de aceleração do crescimento e outras idéias mirabolantes do governo para a Amazônia, resolveu encarar um urgente debate do século 19. E, com seu jeito suave de dizer coisas radicais, falou neste mês no Simpósio Criacionismo e Mídia, da Igreja Adventista, defendendo um programa de “educação plural” que

Top