Entrevista com Rogério Nunes da Silva, CPT/PR: Construção de usina hidrelétrica no Rio Tibagi é um grande erro

“O processo de planejamento, licenciamento e instalação da Usina hidrelétrica de Mauá no Rio Tibagi se dá como se as populações tradicionais, indígenas e ribeirinhas ameaçadas não existissem”. A denúncia é do secretário executivo da CPT-PR, Rogério Nunes da Silva. Ambientalistas, pastorais e movimentos sociais denunciam que a construção da usina hidrelétrica do Mauá no rio irá afetar severamente o ecossistema da região, as populações mais pobres e pode afetar o

Cerrado deixará de existir, se devastação não diminuir

Flávia Lima [Gazeta Mercantil] O Cerrado deixará de existir daqui a 40 anos se o nível de devastação não diminuir. Longe de ser uma ameaça sem fundamento, a estimativa foi lembrada ontem pelo presidente do Instituto Brasília Ambiental (IBA) e subsecretário de Meio Ambiente do DF, Gustavo Souto Maior. O Dia do Cerrado foi comemorado no Jardim Botânico, com o objetivo principal de chamar a atenção do governo e da

Desmatamento do cerrado contribui para o aquecimento global

Elina Rodrigues Pozzebom Agência Senado A modificação da cobertura vegetal do cerrado, que vem sendo substituída pela agropecuária e por culturas como a de cana-de-açúcar, contribui para o aquecimento global. Mas é possível conciliar desenvolvimento econômico, agricultura e preservação ambiental por meio da regularização ambiental. Esses foram alguns dos assuntos debatidos na audiência pública da Comissão Mista Especial de Mudanças Climáticas, realizada nesta terça-feira, Dia do Cerrado. A professora

Terceirizando o Baixo Parnaíba Maranhense, por Mayron Régis

Eles incursionaram pelos municípios de Mata Roma e Anapurus – Baixo Parnaíba maranhense - de uma fazenda de soja a outra como poucos se arriscaram ou se arriscariam, em um curto espaço de tempo, espreitando funcionários de empresas terceirizadas da Margusa, subsidiária da Gerdau, que encabeçam a derrubada de hectares de Cerrado à base de correntão e que enchem os fornos das carvoarias com as vulnerabilidades dos pequis e dos

A privatização da água, artigo de Ana Echevenguá

A memória dói e ensina: os recursos naturais não-renováveis vão sem dizer adeus e jamais voltam. Eduardo Galeano. No nosso cotidiano, somos bombardeados com as seguintes informações, assustadoras, sobre o futuro da água: - Acesso universal à água limpa é vital à saúde pública. Mas a oferta de água e de serviços de saneamento básico e saúde pública não mais satisfazem às necessidades da população, que cresce de forma vertiginosa.

Top